Una disfunción eréctil es la impotencia de obtener o mantener una erección. comprar viagra sin receta en madrid saber cuál es el medicamento ideal para usted depende de diferentes factores. L'excitation sexuelle masculine est un processus complexe qui implique le cerveau, les hormones, les émotions, les nerfs, les muscles et les vaisseaux sanguins. La dysfonction érectile peut résulter d'un problème avec l'un de ces. De même, le stress et la santé mentale préoccupations peuvent causer ou aggraver la dysfonction érectile. Où achat levitra france vous avez trouvé une #pharmacie online ici http://trendpharm.com/ #levitra. Lorsque des problèmes se produisent dans la chambre, les émotions peuvent exécuter élevé. Si vous avez commencé à éviter les rapports sexuels par crainte de ne pas obtenir une érection, votre partenaire peut commencer à vous pensez ne trouvent plus attrayants. Sentiments se blessent. En couple commencent à se sentir moins intime. Le ressentiment se insinue.

zinovievA literatura sempre foi um excelente método para denunciar ditaduras. Não poderia ser diferente em relação à maior das tiranias já conhecidas pela humanidade: o socialismo.

Um bom começo para quem deseja conhecer as maravilhas do socialismo real é a leitura de “Arquipélago Gulag”, de Alexander Soljenítsin, Prêmio Nobel de 1970. Na monumental obra, o escritor russo fala sobre os campos de concentração do regime comunista com riqueza de detalhes. Soljenítsin confessa que escreveu o livro sem imaginar que alguém poderia lê-lo um dia. Particularmente estarrecedoras são as páginas em que ele descreve os métodos de tortura empregados pela polícia soviética. É coisa de deixar qualquer facínora como o delegado Fleury se sentindo um escoteiro.

Sobre as origens da mentalidade revolucionária contemporânea, recomendo a leitura de “Os Demônios”, de Dostoiévski. O romance é inspirado em um fato real ocorrido na Rússia czarista, em que um grupo revolucionário decidiu matar um companheiro por suspeita de traição. Esse episódio faz lembrar que, em 1936, o “cavaleiro da esperança” Luís Carlos Prestes ordenou a morte de uma adolescente, Elza Fernandes, também por suspeita de traição, jamais comprovada. Sob as ordens de Prestes, militantes comunistas enforcaram a garota com uma corda de varal. Quem quiser conhecer melhor o episódio deve ler “Elza, a Garota”, de Sérgio Rodrigues, e “Olga”, de Fernando Morais.

Há uma vasta biblioteca sobre as maravilhas do socialismo, da qual citamos alguns poucos exemplos: os ensaios de Joseph Brodsky (expulso da União Soviética por “parasitismo social”, isto é, escrever bem); os poemas de Anna Akhmátova (que teve o marido assassinado a mando de Lênin e o filho preso a mando de Stálin); as memórias de Nadejda Mandelstam (mulher de Ossip Mandelstam, um dos maiores poetas russos, assassinado pelo regime); o livro “Cisnes Selvagens” (em que Jung Chang descreve o terror de três mulheres sob o regime de Mao Tsé-tung); os romances dos autores tchecos Milan Kundera e Ivan Klíma; e o relato autobiográfico “Lágrimas na chuva”, do ex-militante brasileiro Sérgio Faraco.

É muita denúncia para pouca crônica. Mas eu não poderia deixar de citar a leitura dos próprios autores comunistas, cuja eventual sinceridade me fez conhecer a verdadeira face da ideologia: Lênin, Trotsky, o brilhante Isaac Deutscher, o ótimo Jacob Gorender e os canonizados Che Guevara e Carlos Marighella. É como dizia Paulo Francis: “Não há melhor propaganda anticomunista do que deixar o comunista falar”.

meyerhold

mandelstam

Paulo Briguet, jornalista, edita o blog Com o Perdão da Palavra.

 

Share