Livraria Cultura

O próprio governo e a mídia brasileira intervêm de forma vergonhosa para humilhar, difamar e castigar os que cometem "sacrilégio" contra o homossexualismo. O profano está sendo sacralizado, com a ajuda de líderes cristãos profanos que apóiam e sustentam Acabes políticos que impõem sobre o Brasil insanas políticas anticristãs.

A Comunidade Eclesial e uma igreja batista de São Paulo foram judicialmente notificadas e obrigadas a retirar do YouTube um vídeo sobre a islamização da Europa. O vídeo da Comunidade Eclesial era como este aqui: http://www.youtube.com/watch?v=xgvzhCL9DoU

O vídeo, que se intitula "Controle da natalidade no mundo ocidental provocando a vitória demográfica do islamismo", está agora sob a responsabilidade do Blog Julio Severo, que em março de 2008 divulgou para todo o Brasil o vídeo "Fitna", que revela não só a ameaça da dominação do islamismo radical na Europa, mas também a violência e atentados muçulmanos.

Imediatamente depois da postagem de "Fitna", o Blog Julio Severo foi alvo de queixa de quatro jornalistas muçulmanos de São Paulo diante do Ministério Público Federal. Um dos jornalistas é um feroz criticador de Israel, mas não tolera, no próprio Brasil, que ninguém faça críticas à sua "religião da paz".

Moral da história? Na Arábia Saudita e em outros países muçulmanos, um muçulmano tem a liberdade e o direito de proclamar o Corão e criticar os cristãos. E no Brasil? Ele tem o mesmo direito e liberdade. Ele pode, em pleno Brasil, proclamar o Corão e criticar o Cristianismo.

Imoralidade da história? Um cristão, seja católico ou evangélico, não tem a liberdade e o direito de proclamar o Evangelho na Arábia Saudita e em outros países muçulmanos, sob pena de ser executado. Aliás, se ele for pego com uma Bíblia na mão nesses países as conseqüências serão terríveis. Criticar o islamismo, nem sonhar! Por que? Porque os muçulmanos são maioria absoluta nesses lugares. A maioria manda.

E no Brasil? No Brasil o cristão não tem o direito e a liberdade de postar vídeos criticando o islamismo. Por que? Porque os muçulmanos são minoria. E as minorias é que mandam no Brasil...

Essa é apenas uma das gravíssimas e perversas conseqüências das leis que protegem as chamadas minorias.

Entretanto, não podemos culpar os muçulmanos por tudo o que está acontecendo no Brasil. Recentemente, um articulista, que não é muçulmano, ao atacar alguns cristãos aproveitou para também xingar Jesus e o Cristianismo. Ele cometeu tal agressão no Brasil, o maior país católico do mundo. Se ele estivesse na Arábia Saudita ou outro país muçulmano xingando o islamismo, sua conduta não seria de forma alguma tolerada. Dificilmente ele escaparia com vida.

No Brasil é diferente: O Cristianismo pode ser literalmente desprezado, xingado e pisado, sem que o governo mova um dedo. O sagrado está sendo profanado. Mas quando o homossexualismo é criticado com base na Bíblia, os cristãos são rotulados de criminosos e assassinos de homossexuais, numa campanha de mentiras jamais vista antes na humanidade. O próprio governo e a mídia brasileira intervêm de forma vergonhosa para humilhar, difamar e castigar os que cometem "sacrilégio" contra o homossexualismo. O profano está sendo sacralizado, com a ajuda de líderes cristãos profanos que apóiam e sustentam Acabes políticos que impõem sobre o Brasil insanas políticas anticristãs.

Quem pode então acusar os muçulmanos pelo que está acontecendo no Brasil? Em seus próprios países, eles sabem lidar muito bem com os que defendem o homossexualismo. Eles sabem lidar com os que profanam sua religião. Nós não.

Nós permitimos que nossos próprios líderes cristãos profanem o nome de Jesus Cristo por dinheiro, por ganância e por alianças políticas. Veja aqui uma lista dos profanadores: http://juliosevero.blogspot.com/2006/04/lula-e-os-evanglicos.html

Depois queremos saber o motivo por que a Cristandade está impotente diante da esquerda e do islamismo na Europa, EUA e agora Brasil.

A religião que mais cresce hoje no mundo inteiro é o islamismo, e nos preocupamos com o avanço dessa religião na Europa, que é o berço do Cristianismo. Mas nunca paramos para pensar que não são os muçulmanos que estão crescendo. Nós estamos diminuindo!

Menos jovens cristãos hoje se casam, embora a maioria absoluta deles esteja fazendo sexo sem casamento. Dos que se casam, a maioria de suas mulheres prefere trabalhar fora do que cuidar do ministério do lar. E a maioria também se recusa a ver filhos como bênçãos. Eles preferem abraçar práticas de planejamento familiar, com todas as suas implicações de aborto e micro-aborto.

Podemos acusar os muçulmanos de muitas coisas, mas jamais poderemos dizer que suas famílias estão piores do que as nossas. As famílias muçulmanas são unidas. As famílias muçulmanas têm muitos filhos, porque os vê como bênçãos. As esposas muçulmanas são dedicadas ao lar.

Que chances os cristãos têm de avançar quando suas famílias estão consagradas ao Baal do planejamento familiar?

O Evangelho verdadeiro é vida - vida para os cristãos e suas famílias. Os cristãos da Europa, EUA e Brasil não podem reclamar do crescimento muçulmano. Eles precisam urgentemente rejeitar a mentalidade que está roubando a vida e as benções de Deus para si e suas famílias.

Share

Você precisa ser um usuário registrado para postar comentários.
Por favor, faça o seu login ou registre-se. É rápido, e totalmente grátis.