Atualizado às 00h54 desta segunda-feira (16).


Do site de Jean Wyllys:

Nova onda de calúnias

Circulam pela internet dois e-mails assinados por Jean Wyllys, dando a entender que foram enviados a partir do e-mail institucional da Câmara dos Deputados, contendo ameaças a um blogueiro em especial, além de declarações convenientes aos blogs e sites que prontamente as replicaram.

Entre as declarações, uma delas chama em especial a atenção, servindo como um suposto “salvo-conduto” à pedofilia, e que está sendo ecoada de forma irresponsável em diversas redes sociais: a intenção de legalizar relações ditas “consensuais” entre crianças e adultos.

Tais declarações são uma completa mentira, objeto de uma campanha caluniosa, cujo objetivo é calar uma luta dentro do Legislativo. Servem como forma de desmoralizar um mandato que prima pela defesa dos direitos humanos, partindo de pessoas que se opõem à defesa dos direitos de mulheres, portadores de deficiências, negros, LGBTs e crianças carentes – bandeiras levantadas pelo deputado em sua participação na CPI da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT, Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Comissão de Legislação Participativa, Comissão de Educação e Cultura, Frente Parlamentar pela Defesa da Cultura, Comissão Externa de Combate à Corrupção, Subcomissão permanente de Assuntos Federativos, Frente pela Liberdade de Expressão, Parlamento Jovem Brasileiro e projeto “A Câmara quer te ouvir”, iniciativa da Ouvidoria da Câmara dos Deputados.

Apesar de alguns destes caluniadores já terem reconhecido que a origem de tais e-mails é falsa, continuam ocupados em propagá-los, uma atitude claramente contraditória.

Estamos tomando as providências cabíveis, responsabilizando cada envolvido neste desagradável episódio, na correta medida de seu ato.

(http://jeanwyllys.com.br/wp/nova-onda-de-calunias)


Da Editoria MSM:
 Não há contradição alguma, nem calúnia, em divulgar e-mails falsos, desde que anunciando que são falsos, como o Mídia Sem Máscara prontamente fez assim que descoberta a origem dos e-mails. Jean Wyllys pode até negar seu apoio à pedofilia, mas não as ligações políticas claras que há entre o movimento gayzista, do qual é um ícone, e os defensores da pedofilia. Ademais, crime de calúnia é atribuir o rótulo de caluniador a quem calúnia alguma cometeu. Jean Wyllys, como bom revolucionário, está sempre com uma acusação estúpida na boca. Para quem está associado politicamente com notórios falsificadores de dossiês e outros documentos (e aliás também notórios apologistas de regimes que assassinam gays em profusão), o deputado gayzista do PSOL está falando demais, visando claramente a tirar lucro político do episódio.




Share

Você precisa ser um usuário registrado para postar comentários.
Por favor, faça o seu login ou registre-se. É rápido, e totalmente grátis.