cptaec

 


 

Novo curso de Olavo de Carvalho:

cursoOdeC

Nas livrarias:

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.


SPACÇO DO SPACCA

© Spacca para o MSM

 



Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

 
Olavo: "Nosso primeiro inimigo não é o PT. Nosso primeiro inimigo é a mídia".

http://www.lobao.com.br
http://olavodecarvalho.org 

 no-cheÉ hora de tirar a sorridente máscara de Che e revelar a sua verdadeira face.


Hollywood se despede de 2009 com uma fraude monumental: o épico Che, de Steven Soderbergh, com quatro horas de duração, em Castelhano, transformando um assassino marxista sádico num, de acordo com o New York Times, “genuíno revolucionário durante as estações do seu martírio”. [1] A palavra “estações” faz referência a Cristo nas Estações do Calvário – a Via Crucis.  O protagonista do filme, Benicio del Toro, realmente comparou “o herói revolucionário cubano Ernesto Che Guevara” a Jesus Cristo. [2]

O Che de Soderbergh é uma ficção criada pela comunidade KGB, da qual fez parte o serviço de espionagem romeno ao qual pertenci – o DIE – numa época que me coloca diretamente na trama. O Che real foi um assassino que comandou pelotões de fuzilamento comunistas e fundou o terrível gulag cubano. Foi também um covarde que obrigou os outros a lutar até a morte pela causa comunista e que mandou para o patíbulo centenas de pessoas que se recusaram a fazê-lo, mas que se rendeu sem luta ao exército boliviano embora estivesse armado até os dentes. “Não me matem” implorou Che aos seus captores. “Valho mais vivo do que morto”. [3] O filme de Soderbergh omite este episódio – o qual demoliria o seu Che.


As FARC não reconheceram de maneira clara e sincera que são os responsáveis pela mais vasta atividade criminosa que a Colômbia conheceu em toda sua história. O que fizeram ontem em Havana está longe de ser um mea culpa convincente e crível. O que o chefe guerrilheiro “Pablo Atrato” declarou em Cuba, no sentido de que as “ações” das FARC durante o “conflito armado” afetam a população civil, porém que ela “não foi o alvo principal nem secundário para eles”, não é senão uma maneira habilidosa de tratar de lavar as atrocidades cometidas por elas contra a força pública, como se ultimar, ferir e mutilar militares e policiais não fosse um crime espantoso. 

Ao mesmo tempo em que “Pablo Atrato” dizia isso, outro porta-voz das FARC, um tal “Matías Aldecoa”, exigia em Havana que “os Estados Unidos e outras potências estrangeiras” reconheçam sua “responsabilidade central” no chamado conflito colombiano. O terrorista que lançava esse discursos inflamado, não disse se entre as “outras potências estrangeiras” ele incluía a desaparecida Rússia de Stalin, ditadura totalitária de onde partiram efetivamente as ordens, o dinheiro, o treinamento e o apoio político para criar um aparato político-militar devastador que pudesse se apoderar da Colômbia, em plena guerra fria, para reforçar o comunismo soviético.

Em sessão com clima de anúncio relevante, a presidente da Petrobras Graça Forster montou no cavalo encilhado dos escândalos e assumiu seu lugar à mesa dos trabalhos com fisionomia de atendente de UTI de Pronto Socorro, em final de turno, numa segunda de Carnaval. Do cabelo à ponta do nariz, tudo que podia desabar tinha desabado. Afinal, as horas antecedentes não haviam sido moleza. Todos os grandes senhores das empreiteiras nacionais, que eram recebidos com tapete vermelho nos gabinetes da empresa, estavam dormindo no chão do xadrez. Delações premiadas espocavam de toda parte e lembravam extrações da Loteria Federal. Às avessas. Milhões regurgitavam de todos os cantos.

Os sólidos muros da impunidade tombavam pelo simples fato de que ainda há juízes em Curitiba e lá está o celebérrimo magistrado federal Sérgio Moro, a quem a capital paranaense já deve uma estátua no meio da Praça Carlos Gomes.

Olavo de Carvalho: "Não liguem para divergências menores. Vamos em frente. "

"Mais do que uma alternativa, o Mídia Sem Máscara deve ser um órgão de boicote à esta mídia. 
E prestem atenção: a mídia não é parcial. A mídia é parte integrante do esquema do Foro de São Paulo." 


http://olavodecarvalho.org
http://radiovox.org


Foi também a aclamação pública e popular do maior filósofo brasileiro, do escritor verdadeiramente influente, que fala do que é relevante, com coragem e honestidade intelectual.


p4
Foi uma aula de civismo e cidadania, quando mais de 30 mil pessoas tomaram a avenida Paulista, na 2ª manifestação pró-impeachment de Dilma Rousseff. Houve manifestações também em Brasília, Rio de Janeiro e outras cidades brasileiras. O ato público de São Paulo começou às 14 horas em frente ao MASP, quando já se reuniam pessoas de todas as idades, muitos com as caras pintadas de verde e amarelo, com cartazes, faixas e bandeiras mostrando indignação e esperança “por um Brasil decente”, como dizia uma das placas.


Nas manifestações de 15/11 em São Paulo, o “jornalista” Guga Noblat, chapa branca até a medula, apareceu com sua desonestidade inacreditável (como sempre). Obviamente, foi alvo da indignação dos manifestantes. Não seria diferente se um jornalista nazista, famoso por ter apoiado o governo de Hitler, aparecesse em uma manifestação judaica coagindo e ridicularizando os manifestantes.

Noblat sabe que é um inimigo com foco em ajudar um projeto totalitário de poder. Sempre que projetos bolivarianos são levados a cabo, adversários são esmagados, como vemos aqui:

Ou seja, os manifestantes sabiam o que Noblat ambicionava para eles. Diante disso, é claro que a indignação iria surgir. Podemos apostar que o CQC enviou especificamente Noblat para causar esse tipo de indignação. Daí os apaziguadores mais ingênuos de sempre aparecem para dizer que “ocorreu um excesso contra Noblat”. Será?

Em 2009, os EUA foram confrontados com um de seus piores pesadelos: Barack Obama era tudo que seus adversários acusavam e muito mais.

Mesmo para um povo que já passou por tantas guerras e ameaças, nunca houve nada parecido com isso. A lembrança do presságio de Abraham Lincoln voltava com força total: “a América nunca será destruída de fora para dentro. Se um dia falharmos e perdermos nossas liberdades será porque nós mesmos nos destruímos.”

Neste mesmo ano nasce um movimento espontâneo e popular batizado de “Tea Party”, lembrando o “Boston Tea Party”, evento histórico ocorrido em 16 de dezembro de 1773 e que desencadeou uma série de eventos que terminariam na independência dos EUA dois anos e meio depois.

BannerSeminario-ModSeminario
INDICAÇÕES MSM
Confira a lista de indicações do MSM na Livraria Cultura, com os livros que nenhum leitor bem informado pode deixar de ler.
22625366O Imbecil Coletivo O Verdadeiro Che Guevara

kreeft-maquiavel

banner-olavettes-para-seminario-filosofia

seminariodefilosofia


Doravante, cada vez mais, você ouvirá falar de "Pátria Grande". A expressão é cunhada nas elucubrações do Foro de São Paulo. Designa a unidade geopolítica a ser construída através da exportação do comunismo cubano e venezuelano aos demais países da outrora chamada América Latina ou Ibero-América, em marcha para se tornar "Pátria Grande". Pátria grande uma pinóia!

Exceto nas cabeças petistas (assista vídeos de Rui Falcão e Lula aqui), o Brasil nada tem a ver com essas pequenas nações que outrora integraram a Coroa espanhola. Se elas sonham com deitar à sombra da economia brasileira, se creem que continuarão, vida afora, contando com as prodigalidades proporcionadas pelo governo petista em seus sonhos de hegemonia continental, podem armar suas redes noutras varandas. Tivemos origem diversa, cursamos rumos diferentes na História e os dias do PT estão contados. Julgo oportuna esta advertência porque, do jeito que a coisa vai, em breve haverá bolivianos, salvadorenhos e nicaraguenses fazendo projetos com os recursos do pré-sal... Vamos parar com isso! E vamos parar já.


Está em vigor na Venezuela um plano nacional de desarmamento, que busca incentivar a entrega voluntária de armas de fogo. Tal como aqui, as autoridades repetem o engodo de acusar o cidadão, e não o bandido, de ser a razão da criminalidade.

Todavia, o que chama a atenção é a dualidade que os altos emissários venezuelanos parecem lidar com a situação. Recentemente, a babá do filho de Elías Jaua, ministro para o Poder Popular para as Comunas e os Movimentos Sociais, foi detida tentando ingressar no Brasil portando um revólver calibre 38. O ministro, que já se encontrava no país quando pediu à babá que viesse ao seu encontro, admitiu que a maleta com documentos políticos e a arma lhe pertenciam.

A babá ficou presa por cinco dias no Brasil e foi liberta após conseguir habeas corpus. Todavia, enfrentará em liberdade processo por tráfico internacional de armas.

bbQueremos aqui reafirmar neste manifesto que rechaçamos toda e qualquer proposta de separatismo e de golpe militar,
pois queremos o Brasil unido e fortalecido democraticamente.


Saímos às ruas para defender a democracia brasileira, seriamente ameaçada pelo projeto de poder totalitário do PT, instrumentalizado pelo Foro de São Paulo (organização terrorista que reúne partidos de esquerda e grupos criminosos do continente latino-americano) para implantar o bolivarianismo no Brasil e demais países da América Latina, sob o comando dos irmãos Castro.

Nosso movimento é pela democracia, pela soberania nacional, pela verdade, pela dignidade e pela liberdade. Sabemos que o PT está empenhado em extinguir as liberdades individuais, amparado no pior populismo e clientelismo, com as já evidentes consequências econômicas desastrosas, a generalizada degradação moral e a insegurança institucional, com o Estado e a sociedade civil aparelhados para uma hegemonia ideológica que coloca em risco as liberdades individuais.

Com desdém lançarei meu desafio
Bem na face do mundo,
E verei o colapso desse pigmeu gigante
Cuja queda não extinguirá meu ardor.
Então vagarei semelhante a um deus,
Vitorioso, pelas ruínas do mundo
E, dando às minhas palavras uma força dinâmica,
Sentir-me-ei igual ao Criador
Karl Marx


Na última semana a ABC News divulgou uma reportagem em que se diz que hackers conectados ao governo russo são suspeitos de instalar um tipo de malware nos computadores que controlam as usinas de energia e estações de tratamento de água dos Estados Unidos. Esse malware é capaz de debilitar os serviços públicos da América. Um ato de sabotagem tão monstruoso não seria apenas um ato de guerra, mas também um monstruoso crime, pois as vítimas seriam cidadãos comuns que foram alvejados pelo simples fato de possuírem uma determinada nacionalidade. Por que o governo russo faria tal coisa?

Qualquer prefeita, candidata a reeleição, que fizesse dez por cento do que foi feito na campanha de Dilma teria seu nome retirado das urnas por decisão da Justiça Eleitoral.


Raras vezes se ouviu semelhantes confissões. Confessaram em dueto, Lula e Dilma. "Eles não sabem o que somos capazes de fazer!" proclamou ele, enfático. "Nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição!" admitiu ela, faceira.

E assim foi. Nunca se viu tanta baixaria. Nunca a verdade foi tão chicoteada pela mentira. Nunca se disse tanta estupidez, porque a estupidez, de algum modo, renderia votos. Desde as eleições que sucederam o Plano Cruzado, em 1986, não se praticava no Brasil um estelionato eleitoral de tais proporções. Todas as providências, todas as urgentes providências demandadas pela péssima situação econômica e pelas deficitárias contas públicas agravaram-se por terem sido postergadas para depois das eleições. Ainda se discutem as urnas e já os preços administrados pelo governo começam a subir. A realidade nacional não podia chegar ao conhecimento do povo. Menos ainda na hora de o povo deliberar sobre quem estava mais capacitado para enfrentar a realidade.

“Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez”.
William Shakespeare

O deputado estadual Carlos Bezerra Jr. (PSDB) ficou calado quando o Partido dos Trabalhadores (PT) apresentou uma Lista Negra de jornalistas que “cometem o pecado” de criticar o governo Dilma.

Até mesmo a ONG internacional Repórteres Sem Fronteiras condenou a Lista Negra do PT contra jornalistas e humoristas críticos ao governo. Mas Carlos Bezerra – que adora citar Martin Luther King – ficou bem quietinho.