Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Como já vimos no caso de Rachel, todas as intenções do PT se baseiam em censurar a dissidência. Sempre foi assim na Rússia, China, Cambodja e Cuba.
Por que agora seria diferente?

censurapt

Segundo o Portal 100 Fronteiras, finalmente os fascistas do PT, PCdoB e PSOL conseguiram: a opinião de Rachel Sheherazade está formalmente censurada no SBT. E em pleno 2014 tudo isso ocorreu à luz do dia! Veja o texto:

O SBT decidiu cortar de seu principal telejornal os comentários pessoais que a apresentadora Rachel Sheherazade costumava fazer. Em comunicado enviado nesta segunda (14), a emissora avisa que Sheherazade continuará dividindo a bancada com Joseval Peixoto no comando do SBT Brasil, mas que os comentários serão feitos em forma de Editorial. De acordo com o comunicado, “essa medida tem como objetivo preservar os apresentadores”. A apresentadora virou alvo do Ministério Público após fazer um comentário em que apoiava a ação de justiceiros no Rio de Janeiro. Na ocasião, um grupo de jovens tinha acorrentado a um poste um jovem acusado de praticar um roubo. Leia abaixo o comunicado na íntegra: Em razão do atual cenário criado recentemente em torno de nossa apresentadora Rachel Sheherazade, o SBT decidiu que os comentários em seus telejornais serão feitos unicamente pelo Jornalismo da emissora em forma de Editorial. Essa medida tem como objetivo preservar nossos apresentadores Rachel Sheherazade e Joseval Peixoto, que continuam no comando do SBT Brasil.


Bem, pelo menos o SBT não escondeu que foi vítima de censura. Senão, por que eles deveriam “preservar” Rachel?

BannerSeminario-ModSeminario
INDICAÇÕES MSM
Confira a lista de indicações do MSM na Livraria Cultura, com os livros que nenhum leitor bem informado pode deixar de ler.
22625366O Imbecil Coletivo O Verdadeiro Che Guevara

kreeft-maquiavel

banner-olavettes-para-seminario-filosofia

seminariodefilosofia

No país do analfabetismo funcional, novo plano de educação negligencia o mérito, põe a escola contra a família e, em vez de estimular a leitura, policia as palavras, transformando a língua num instrumento de opressão ideológica.


Durante uma audiência pública da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal, realizada em 22 de outubro do ano passado, o economista e professor Cláudio de Moura Castro, ao término de sua palestra, resolveu apresentar uma proposta ao Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020). Professor visitante de renomadas universidades estrangeiras, Ph.D. em Economia pela Vanderbilt University, nos Estados Unidos, e conceituado pesquisador da educação, com vários livros publicados, Moura Castro, com um ligeiro sorriso no rosto, anunciou: “Já que todo mundo botou um negócio no plano, um artiguinho, eu também quero propor um artiguinho no plano: um bônus para as caboclinhas de Pernambuco e do Ceará conseguirem se casar com os engenheiros estrangeiros, porque aí eles ficam [no País], e aumenta o capital humano no Brasil, aumenta a nossa oferta de engenheiros”.

claudio

Cláudio de Moura Castro, economista e pesquisador, denuncia os delírios
do Plano Nacional de Educação. (Foto: Paulo Antunes)

obmpEm um prospecto de 1991 divulgado por agência literária, mostra-se um currículo de Obama no qual ele se apresenta como queniano.


Eu sou um louco de pedra. O presidente Barack Obama, em 1991, admitiu ter nascido no Quênia, e aparentemente, ninguém está ligando. Isto é de "ouvir dizerem". Está documentado. Isto não é tipicamente uma "bomba" porque a verdade é que nós temos tido conhecimento disto por mais de um ano, e alguns sabem disto desde há muito mais tempo. O problema é que ninguém quer denunciar ou falar a respeito. A mídia e os idiotas úteis de plantão irão dar desculpas ou simplesmente atirar insultos. 

Estou doente e cansado de me dizerem que não importa onde Obama nasceu. O argumento que tenho obtido de muitos conservadores é que nada vai ser feito sobre isto, então nós precisamos nos focar em coisas importantes como Benghazi, o escândalo da Receita Federal, a espionagem feita pela NSA ou qualquer outra coisa ao gosto particular da semana.


Joaquim Câmara Ferreira não morreu sob tortura, como apregoa a esquerda mentirosa, mas de ataque cardíaco. Quem se importa com mais esta mentira, a não ser a (c)Omissão Nacional da Verdade e os esquerdistas em geral?


A Ação Libertadora Nacional (ALN) foi um grupo terrorista, cujos fundos eram obtidos por assaltos e dinheiro recebido de Cuba. “Militei na Ação Libertadora Nacional (ALN), uma organização guerrilheira que mantinha excelentes relações com Cuba. Muitos de nossos companheiros receberam treinamento militar na ilha para enfrentar com armas a ditadura militar que havia deposto um governo legitimamente eleito” (Paulo de Tarso Venceslau, “30 Moedas”, site Jornal Contato, acesso em 13/5/2011).

Uns cento e tantos anos atrás, os intelectuais russos mais ligados à Igreja Ortodoxa alardeavam a plenos pulmões que no século XX a Rússia iria encabeçar uma grande revolução espiritual destinada a salvar o mundo da corrupção ocidental católico-protestante-judaico-ateística. O que veio foi a Revolução de 1917 e a maior perseguição anticristã de todos os tempos.

A Revolução, por sua vez, prometia um paraíso de paz, liberdade e prosperidade. O que veio foi a transformação da Rússia e de vários países em torno em matadouros humanos como ninguém tinha visto antes nem poderia jamais ter imaginado.

A pergunta decisiva da qual duguinistas e putinistas se evadem  como baratas assustadas é a seguinte: Por duas vezes a Rússia já prometeu salvar o mundo e só conseguiu torná-lo mais parecido com o inferno. Vamos dar-lhe um novo crédito de confiança para que ela o faça uma terceira vez?


O Sr. Presidente João Goulart que sempre se utilizou – com êxito e sem riscos – do apoio dos comunistas em proveito de sua carreira política, ainda não se deu conta de que presentemente os partidários do Sr. Luís Carlos Prestes é que dele se estão aproveitando para imprimir ritmo acelerado à “guerra revolucionária” em curso no Brasil, que visa à tomada do poder para a implantação de um regime comunista.(...)  o Sr. João Goulart, ao que parece, ainda não se apercebeu do alto e grave sentido de nossa advertência, pois suas palavras e atos mais recentes revelam que S. Ex. – consciente ou inconscientemente – aprofunda cada vez mais o seu comprometimento no processo da “guerra revolucionária”.
Bilac Pinto, Presidente da União Democrática Nacional (UDN), 1964

É profundamente estranho que o senhor presidente da República atue mais como chefe de partido do que como supremo magistrado da Nação. Para manter-se a mística dos liderados, arquitetam-se, como nos regimes ditatoriais, motivações que instigam as massas a permanecer em clima de continuada tensão emocional, ante promessas ilusórias de reforma vazias de conteúdo pela falta de planejamento e ausência de sinceridade de seus objetivos.

Manifesto Das Classes Produtoras, março de 1964

Estudantes formados por Lazarsfeld se tornaram verdadeiros “gurus” da indústria publicitária e seus estudos eram também aplicáveis à política. Trabalhavam para grandes empresas e órgãos governamentais com considerável influência em muitos países.

2sflow

O primeiro resultado da pesquisa de opinião do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) tentava demonstrar um povo machista e violento, o que a esquerda buscou identificar imediatamente com um conservadorismo. Daquele primeiro resultado vieram inúmeras manifestações de políticos, incluindo o próprio ex-presidente Lula, chamando a atenção para o perigo representado pelos supostos 46% da população. Na carona do IPEA, impulsionou-se votações de leis sobre violência doméstica que a relacionavam com o machismo da sociedade. Estas leis, por sua vez, já estão servindo de modelo para a inclusão da ideologia de gênero não mais somente no novo Plano Nacional de Educação, mas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o que terá caráter permanente. O extenso uso político e militante daqueles primeiros resultados mostra o intuito dessa verdadeira operação de engenharia social.

Pat Buchanan tornou-se um companheiro de viagem e idiota útil.

Ele não pode – e nem poderia – ver que as mentiras de Moscou evoluíram para engolir tanto a direita quanto a esquerda.

O desertor Konstantin Preobrazhensky avisou que a religião conservadora se tornou fio condutor da subversão russa.


Blaise Pascal escreveu que o homem é repleto de erros. “Esse erro é natural”, explicou Pascal, “infausto e indelével. Nada mostra a ele a verdade; tudo o engana”. Em linhas similares, Frederico o Grande disse: “O homem foi feito para o erro. O erro entra em sua mente naturalmente e nós descobrimos apenas algumas verdades após muito esforço”. Os conservadores são especialmente culpados de errar quando se trata da União das Repúblicas Socialistas Soviética, Rússia e o comunismo. Para entender as complexas realidades subjacentes, deve-se primeiro descobrir o caráter enganoso da própria coisa. Um comunista é um ser humano com o poder de uma pessoa. Como outros humanos políticos, ele não muda suas crenças com a mesma frequência que troca de roupa. Ele não desiste facilmente e se torna de repente um capitalista. Por outro lado, é totalmente normal para um comunista se disfarçar de capitalista. Lênin fez isso na década de 1920 e Stálin fez seus arranjos com o capitalismo na década de 1940. Houve uma “coexistência pacífica” nos anos 1950 sob Krushchev, um détente sob Brezhnev e a perestroika com Gorbachev; E hoje, em Moscou, Vladimir Putin finge ser um cristão. Quem seria ingênuo o bastante para acreditar nesta última ilusão? Dentre todos, essa pessoa é Patrick J. Buchanan, que escreveu um artigo intitulado "Deus agora está do lado da Rússia?"


Dilma Rousseff foi vendida a seu eleitorado como gestora competente. Mas autorizou a Petrobras a pagar mais de um bilhão de dólares por uma lebre que mia.

 

Todo esse imbróglio serve para mostrar o quanto é maléfica a confusão que fazemos no Brasil entre Estado, governo e administração pública, como se fosse tudo a mesma coisa.

 

 

A compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, tanto na transação em si, quanto no que aconteceu após se tornar de conhecimento público, é dos atos mais constrangedores de nossa história administrativa. Nem encomendando se conseguiria produzir semelhante sucessão de ações e reações que primam pela falta de decoro e pela hipocrisia. Atenção, jornalismo nacional! Hora de acordar, rapaziada! O rolo é conhecido desde 2012! É difícil entender as razões pelas quais a pauta dormiu nas gavetas durante todo o ano de 2013.

carteiroO nome é Gil Diniz.

Ele foi ao primeiro lançamento do meu livro, evento que aconteceu em uma das áreas mais nobres de São Paulo, num shopping cujo nome dispensa explicação: Pátio Higienópolis. Qualquer morador da capital sabe que Higienópolis é bairro de elite, é lugar de endinheirados. Chegou na livraria trajando seu uniforme de trabalho: calça azul, sapatos, e camiseta amarela com o logotipo dos Correios. Sim, a estatal que um dia serviu de estopim para o maior escândalo da história da República, o Mensalão, abriga em seus quadros pessoas de grande caráter, como Gil.

Depois de ficar um bom tempo na fila, onde rapidamente fez amizade com outros ditos reacionários, chegou com o livro em mãos e me disse, com orgulho:


Olavo: “Documentos oficiais da própria União Soviética e da própria KGB, provam que havia uma verdadeira invasão de agentes da KGB em todos os escalões do poder no Brasil, e não só do estado: em empresas privadas e estatais, institutos de pesquisa científica, universidades, redações de jornal, etc. A KGB estava praticamente no poder no Brasil."

“Continuo lançando meu desafio: há 50 anos os historiadores esquerdistas no Brasil ficam escarafunchando tudo em busca de escândalos que comprometam o governo americano. É inacreditável, Denise, mas até hoje, não descubriram o nome de um único agente da CIA comprovadamente lotado no Brasil na época."

"Quem é o dono da narrativa determina o capítulo seguinte."



Obama e as mulheresA política é para profissionais e os profissionais estão vencendo, tanto aqui como lá.


A esquerda quer eleger Hillary Clinton em 2016. Não por coincidência, de uma hora para outra o assunto na imprensa americana, uma espécie de departamento de marketing do Partido Democrata (com honrosas exceções), além dos talk-shows e da militância virtual, é a “discriminação contra mulheres”.

A foto do post, de terça (08/04), mostra Barack Obama cercado de mulheres, como manda o manual populista, assinando um decreto para “dificultar que empregadores paguem mais a homens do que mulheres na mesma função”. A tática é manjada, mas sempre dá certo:

1) A esquerda inventa uma pauta que divide a sociedade, balcanizando a população em grupos e jogando uns contra os outros, estimulando ou criando ressentimentos, ódios e conflitos.

O desenvolvimentismo é uma fraude teórica e um perigo como elemento inspirador da administração do Estado. Mas como mudar isso, se a maioria dos funcionários públicos acha que o erro teórico é a verdade?


A imprensa está cheia de análises sobre um possível “volta, Lula”, tentando explicar porque isso pode acontecer. Um ponto comum nas análises é culpar a presidente Dilma pelos problemas econômicos, como se ela fosse a autora do projeto que está em curso no país. Claro, ela está de acordo com ele, mas é preciso separar o trigo do joio. A política econômica é a do PT, não é meramente da presidente, assim como sua política “social”. A coisa tem raízes históricas mais profundas.

Quem estuda a história econômica do Brasil sabe que, desde os anos 30, um suposto conjunto de conhecimentos em economia foi desenvolvido para patrocinar o desenvolvimento econômico. A obra de Celso Furtado é um momento de consolidação dessa visão de mundo, que tem gerado legiões de discípulos universitários, que ora ocupam o poder. Tudo começou com o Partido Comunista. Essa visão de mundo infiltrou-se no Estado paulatinamente desde então. Politicamente, vivemos o apogeu desse falso saber no comando do Estado com o PT. Aí está a origem da tragédia que se anuncia.


“Professor,

Sou aluno do Curso de Ciências Sociais da (...). Admiro seu trabalho há um ano e estou amadurecendo a idéia de me tornar aluno do Seminário de Filosofia, o que me impede é o tempo. Hoje na aula de História Moderna uma colega minha expôs para toda a turma a minha admiração pelo seu modo de pensar, prontamente os colegas começaram a me olhar com olhar de reprovação. O professor desta disciplina, estava presente em sala e ao ouvir o comentário da minha colega, começou a se dirigir a mim de maneira debochada sobre as denuncias que o senhor faz há vinte  anos, perguntas do tipo: "Você realmente acredita que há uma conspiração revolucionária gramsciana em andamento no Brasil?’ ou ‘Você é tolo ao ponto de acreditar que estamos sob uma ditadura petista?’.

O professor seguiu rompendo com toda q qualquer ética profissional e passou a alvejar a sua pessoa, atribuindo adjetivos como alarmista, fascista e reacionário e dizendo que o senhor é maluco, mas admitia que é um bom professor de Filosofia e portador de uma erudição impar (inclusive ele disse que a mãe dele foi sua aluna). Fiquei muito constrangido e sem resposta devido ao estado de choque em que me encontrei em ver um professor universitário me admoestando por minhas preferências politico-filosóficas. Um único colega mais conservador (por minha influência) veio em minha defesa e indagou qual é o problema de gostar do senhor e sobre a necessidade de alguém esculachar’ o senhor devido a idéias divergentes, encerrando a discussão e deixando o professor e os colegas mais falantes sem respostas.