Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32twittericonYoutube_32x32facebook_32Feeds_32x32Mail-32currency_blue_dollar-32

Será que estamos diante de um caso clássico de aparelhamento de um órgão público por um lobby político organizado, neste caso o lobby LGBT?


O que aconteceria se um órgão público que deveria primar pela imparcialidade decidisse assumir o ônus de uma ação que ganhou forte repercussão negativa apenas para poupar a imagem de um deputado conservador/cristão/oposicionista?

Pois é no mínimo “curioso” o relacionamento entre o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). 

Nunca tão poucas páginas produziram tantos danos.[1]
Benjamim Wiker

Se as autoridades alemãs soubessem quanto sangue seria derramado, quantas injustiças seriam feitas e quanto ódio a pessoas inocentes seria manifestado como resultado do Mein Kampf (Minha luta) o manuscrito teria sido destruído. Hitler o publicou e liberou para o mundo ideias destruidoras que até hoje assombram a humanidade. Os resultados históricos falam por si. Aquelas ideias produziram males sem fim em muitas áreas. Defender hoje aquilo que poderia ser chamado de A Bíblia do Nazismo seria impossível para qualquer mente sã. O fruto produziu conforme a sua semente.

E, no entanto, não estou falando do Mein Kampf. Estou me referindo a outro livro com conseqüências ainda piores – O Manifesto Comunista. Ele foi síntese e semente das ideias e práticas mais destruidoras do século XX. “Já o Manifesto Comunista é um texto denso, explosivo, de imensa força. Com vigor impressionante, em suas quarenta ou cinqüenta páginas estão contidas uma teoria geral da história, uma análise da sociedade europeia e um programa de ação revolucionária” [2]


O que se está negociando é buscar um marco político especial que permita às FARC fazer a revolução socialista após a derrubada do Estado de Direito.


Estamos em plena ofensiva do presidente Santos contra o direito e o sistema jurídico colombiano. Essa estranha e violenta campanha ele não a faz pessoalmente. Ele faz, claro, mas por pessoas interpostas. E a faz em dois tempos e com dois estilos, pois a cruzada está montada para chegar rapidamente a todos os setores, os altos e os baixos. É uma coisa bem pensada. O que Santos está enviando à cara de todos é explosivo: o direito e o ordenamento jurídico do país são obstáculos para a paz e é preciso quebrá-los.

Essa campanha começou em outubro passado quando Santos escolheu a palavra “sapos” para dar o primeiro passo: “Os colombianos se quiserem a paz, terão que engolir alguns sapos”. Com essa mensagem tão bestial quanto efetiva, neutralizou os que protestavam pela chegada de Romaña à mesa de negociações em Havana, quer dizer, de um dos chefes das FARC com mais mortos nas costas. Santos acrescentou algo muito certo: “A paz se faz com os inimigos”. Por isso tinha que aplaudir essa viagem e a absolvição, de fato, desse grande criminoso. Hoje sabemos que aquilo de ter que engolir sapos para alcançar a paz vai muito mais longe.

n-urss

Comemoração pela II Guerra Mundial em Moscou teve notas de revanchismo soviético.

Putin procura, de modo sorrateiro ou provocador, segundo as conveniências e oportunidades, angariar a simpatia ou neutralizar pela intimidação os países que estariam na primeira linha de um hipotético conflito total com o Ocidente.

Trata-se especialmente dos países da orla do Báltico, das nações escandinavas bálticas e da Polônia, no norte da Europa. E dos países da Europa Central sem saída ao mar.



Blefe: 1. Mostrar falsamente confiança ou agressividade para enganar ou intimidar alguém. 2. Mostrar agressivamente os dentes como meio de intimidar outro animal.
- The Free Dictionary

Chantagem nuclear é uma modalidade de estratégia nuclear em que um agressor usa a ameaça do uso de armas nucleares para forçar um adversário a tomar alguma atitude ou fazer algumas concessões. É um tipo de extorsão.
- Wikipédia


Durante a Conferência de Segurança de Munique na sexta-feira, o ministro da Defesa da Grã-Bretanha, Michael Fallon, falou à Reuters sobre um triplo problema. Primeiro ele disse que os russos “podem ter baixado o limiar [de tolerância]” para o uso de armas nucleares. Em segundo lugar, disse que os russos estão “integrando forças convencionais e nucleares de maneira bastante ameaçadora...”. E em terceiro, “em tempo de pressão fiscal eles continuam a gastar na modernização das forças nucleares”. (v. a matéria em inglês UKb concerned over ‘threatening’ Russian nuclear strategy.)

A presidente Dilma conduz o governo como um caminhão na RS 306. Sai de um buraco para entrar noutro. Em meio ao frenesi desencadeado pela pilhagem da Petrobras, nossa presidente decidiu, enfim, trocar a diretoria da empresa. Ou ela concluiu sozinha que as coisas não iam bem por lá, ou alguém lhe contou. Não sei exatamente o que aconteceu. Em todo caso, a presidente determinou a substituição de comando.

Tirou o pé de um buraco, como acontece na RS 306, e caiu noutro. Precisava encontrar a pessoa certa para ocupar a poltrona de dona Graça Foster. Os requisitos para o posto são óbvios e os leitor os conhece: 1º) tem que ser alguém do partido; e 2º) tem que ser alguém acima de qualquer suspeita. Mas o problema era exatamente esse. Onde achar alguém acima de qualquer suspeita buscando onde ela buscava? Busca aqui, pé no buraco; busca ali, pé noutro buraco. Consulta aqui, consulta ali, buraco, buraco, buraco.

Um Executivo irresponsável criou a própria armadilha para seus agentes, ao permitir o liberou geral. Os petistas escorregaram em sua própria casca de banana.


Qualquer estudioso mediano de ciência política sabe que a corrupção é inerente ao exercício do poder e dele não pode ser separada. A corrupção não pode ser extirpada. Qualquer burocrata saberá sempre traduzir seu poder em mercadoria. Uma leitura atenta do que Ortega y Gasset escreveu sobre Mirabeau vai ensinar que é assim, sempre foi assim.

Bem outra coisa é haver tolerância com a corrupção. Quando ocorre isso perde-se o controle e o Estado deixa de exercer suas funções, passando, cada grupo de poder no seu interior, a atuar como facção autônoma, impedindo a funcionalidade do sistema. Nenhum Estado sobrevive se a corrupção ocorrer sem repressão e sem custos. Na raiz, está o sistema jurídico, que codifica e administra a Justiça.

molionO professor Luiz Carlos Molion, dispensa apresentação. Ele representa a América Latina na Organização Meteorológica Mundial, é pós-doutor em meteorologia, membro do Instituto de Estudos Avançados de Berlim, e leciona na Universidade Federal de Alagoas.

Em palestra que ministrou no dia 19 de dezembro aos produtores da Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), o climatologista fez uma previsão de chuvas para os próximos anos.

E mais uma vez refutou a hipótese de as mudanças climáticas e o aquecimento global serem frutos da ação agrícola e industrial, segundo divulgou o site da CorreparO renomeado climatologista utilizou dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), e mostrou 2014 choveu cerca de 70% da média prevista de 1.400 mm.

drstrangeloveDr. Strangelove, (Dr. Fantástico, no Brasil) é uma das melhores comédias de humor negro, verdadeiro clássico do cinema norte-americano. Sob direção de Stanley Kubrick, o filme foi lançado em 1964 tendo Peter Sellers em três papéis principais. O tema do filme, em tempos de Guerra Fria, é um possível conflito nuclear que iria destruir o mundo.

Pois o Dr. Strangelove me faz olhar para o governo Dilma. Nestes últimos quatro anos, o que não foi destruído em nosso país não foi por falta de tentativa. Sua última vítima foi a credibilidade do próprio processo eleitoral. E olhem que passo ao largo da corrupção! O brasileiro consegue avacalhar até com essa praga. A continuar como vamos, em mais uns poucos mandatos nos levam embora o PIB inteiro. Saímos do milhar para o milhão, para o bilhão e para as dezenas de bilhões. Daí para o trilhão é só uma questão de maior ou menor apetite.

A CNBB, com o texto-base da Campanha da Fraternidade de 2015, confirma seu comprometimento com a revolução bolivariana em curso no País, ao apoiar explicitamente a reforma política que favorece o projeto totalitário do PT.

O tema foi abordado no programa ‘Força, Foco e Fé’, da Rádio Vox, nesta quinta-feira (5), e contou com a participação do professor Hermes Rodrigues Nery.

www.radiovox.org

Enquanto a grande mídia evita cobrir o encontro Bilderberg, considerando-o apenas um grupo de debates, inúmeros exemplos de poder da organização e seus impactos diretos sobre a política global foram documentados nos últimos anos.

interalpen

A localização e datas do encontro do grupo Bilderberg em 2015 foi confirmada. O evento será realizado no opulento hotel Interalpen, nos Alpes austríacos, próximo a Telfs.

Em uma nota de imprensa a polícia austríaca revelou que a segurança para a reunião estará em operação entre 09 e 15 de junho. Como é de costume nos encontros Bilderberg as reuniões acontecem entre 11 e 14 de junho.

Na primeira reunião de 2015, o ministro da defesa da Rússia, Serguei Shoigu, definiu os planos para esse ano, nos quais se incluem manobras militares com Cuba, Coréia do Norte, Vietnã e Brasil.

A Rússia está aperfeiçoando seu armamento nuclear e criando uma força aérea espacial do país. Os planos incluem colocar em serviço quatro regimentos de mísseis, dois novos submarinos nucleares (Vladimir Monomakh e Alexander Nevsky) e mais 50 novos mísseis balísticos intercontinentais.

O recém-inaugurado Centro Nacional de Gestão de Defesa sediou da reunião. O chefe do Estado-Maior da Rússia, general Valeri Gerasimov, apresentou um informe com os planos estratégicos do país, e acusou as atividades da OTAN nas fronteiras russas como violatórias dos acordos de armas nucleares de alcance médio.

Dilma ficou indignada pela negativa do presidente indonésio de conceder perdão a um narcotraficante brasileiro. Marco Aurélio Garcia (MAG) ameaçou com retaliações. A farsa foi tão mal montada que a suposta indignação não passou de ridículo e a ameaça de MAG só pode ser a de pedir a seus amigos das FARC que mandem umas dezenas de traficantes desafiarem as leis daquele país levando não somente 13 kg, mas toneladas de cocaína. É claro que o PT, Calheiros et caterva e FHC, parceiro de Soros e Gaviria na legalização das drogas, vão querer parte dos lucros da “exportação”. O Cerveró, o Yousseff e a Graciosa poderão intermediar a operação colaborando com barris de petróleo vazios, mas regiamente pagos, que, por 50 dólares, só servem mesmo para montar uma banda caribenha. Lembram o Harry Belafonte, o Rei do Calypso, acompanhado da drums band de Trinidad cantando a seguinte canção: 

“Matilda, Matilda, Matilda she take me Money and run Venezuela – Five hundred dollars, friends, I lost: Woman even sell me cat and horse! Well, the money was to buy me house an’ lan’ (and land), Then she got a serious plan, A-hey, ah!”

E olha que só foram 500 dólares!!! (ouça aqui: https://www.youtube.com/watch?v=5C-DShN82mc). 


Como bem disse Thomas Sowell: “Os fracassos do socialismo são tão evidentes que somente podem ser ignorados pelos intelectuais”.

 Está na hora de a Europa tomar consciência de que sua crise é a crise do socialismo.


Tal como era de se esperar, ganhou a esquerda na Grécia. Como não? Porém, o problema com a Europa é: e o que NÃO É esquerda? Em que país da União Européia hoje não impera o socialismo? Quando Sarkozy, supostamente de direita, governava a França, o gasto público já havia alcançado 57% do PIB e a dívida 125%. Ocorre-me que não parece definível a diferença entre esquerda e direita, além da confusão que impera como conseqüência de que a esquerda considera o fascismo de direita. Conforme esse critério, os Founding Fathers seriam considerados de extrema-direita. Ou seja, que de acordo com a esquerda, que monopolizou a ética, o respeito ao direito de propriedade e a busca da própria felicidade são os determinantes da desigualdade econômica.

Cultura não é só aquisição de conhecimento, é a formação de uma personalidade ao mesmo tempo arraigada na realidade histórico-social concreta e capaz de transcendê-la intelectualmente.


Em artigo escrito já há algum tempo (http://siterg.terra.com.br/post/2014/03/18/procura-se-uma-nova-classe-alta-por-nizan-guanaes/), o publicitário Nizan Guanaes observa que às nossas classes altas falta, sobretudo, cultura. Pura verdade, mas por que somente às classes altas? Ao longo da quase totalidade da história humana, o conjunto dos homens mais cultos e sábios raramente coincidiu com o dos mais ricos e socialmente brilhantes. “Livros e dinheiro são uma mistura perfeita para elegância, savoir faire e bom gosto”, diz Guanaes. É certo. Mas também é certo que elegância, savoir faire e bom gosto não são propriamente a alta cultura: são a vestimenta mundanizada que ela assume quando desce do círculo das inteligências possantes e criadoras para o âmbito mais vasto dos consumidores abonados, da sociedade chique. São cultura de segunda mão.