blp


Nas livrarias: 

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.


SPACÇO DO SPACCA

© Spacca para o MSM

 



Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32


Tanto os precursores medievais e renascentistas quanto os representantes “oficiais” dos três primeiros séculos da ciência moderna só se voltavam à natureza porque o que eles viam e amavam nela não era outra coisa que a obra de Deus.


Prefácio da obra 'Isaac Newton e a Transmutação da Alquimia'.

Na cultura mais geral, imposta aos milhões de vítimas da educação de massas como verdade consagrada, aquilo que se costuma chamar de ‘ciência moderna’ parece ter tido um início claro e um desenvolvimento linear até os dias de hoje, e não são poucos os próprios homens de ciência que difundem ingenuamente essa visão. Contam-nos, assim, a saga de um heróico empreendimento intelectual iniciado, quase espontaneamente, a partir do momento em que alguns “desbravadores da razão” resolveram desafiar e romper com todo o pensamento mágico anterior e com a infindável análise de textos de autoridades que o acompanhava, decidindo agora guiar o estudo do mundo natural por rígidos métodos indutivos aplicados à observação cuidadosa de experimentos controlados. O resultado de todo esse empreendimento se vê coroado em teorias matemáticas precisas, balizadas, por sua vez, por rigorosas técnicas lógicas que garantem a possibilidade de teste, falseamento e refutação.


A escolha por “nenhum dos dois” é a escolha pelo seu próprio ego.


As decisões tomadas na guerra política, obviamente, impactam a vida de todos. Se esta é uma verdade inescapável, nossas escolhas deveriam ser responsáveis e, principalmente, avaliadas sob o aspecto moral. Boa parte da direita diz “(x) é igual a (y)”, com a mesma leviandade que criticam ou apoiam jogadores de futebol. Muitas vezes acabam optando por sua própria opressão, por puro desleixo ou egolatria.

Ontem fiz um post sobre a questão do embate entre Malafaia e Boechat, com dicas para o primeiro conseguir lançar bons mísseis teleguiados contra o segundo. Ao mesmo tempo, vi uma parte da direita se rebelar contra Malafaia com argumentos como “ele é religioso e defende algo de que discordo” ou até um campeão professando “ah, eu não vou com a cara do Malafaia mesmo”.


O pró-reitor precisa mentir: os EUA não são um dos poucos países em que a educação domiciliar é permitida, pois são mais de 60 países em todo o mundo, incluindo alguns dos países mais desenvolvidos, como o Canadá e a França!


Após a publicação de uma matéria extremamente tendenciosa neste último final de semana sobre homeschooling, a RBS revolveu voltar ao assunto e reforçar seu mal-disfarçado apoio ao sistema no Jornal do Almoço de hoje, convidando o pró-reitor de graduação da UFRGS, Sérgio Franco, para dar a sua opinião a respeito. Dei-me ao trabalho de listar 10 motivos para você não acreditar no que ele diz. Poderia listar mais, mas aí o post ficaria muito longo e, além disso, ao contrário dele, eu não subestimo a inteligência dos meus leitores. Resumindo, há ainda mais furos do que eu apontei.

Assistam a mais uma "pérola" do jornalismo "isento" e confiram abaixo a minha listinha.

1. É claro que o pró-reitor da UFRGS não aprova a educação domiciliar sob hipótese alguma. Admiti-lo seria aceitar que o modelo que sustenta a ele próprio é falho e que é possível que exista coisa melhor;

Com o PT governando o Brasil nada mudará na Venezuela.


Foi um marcante fato político a ida da comissão de senadores à Venezuela, para se avistar com os prisioneiros políticos do regime chavista. Os maus-tratos a que foram submetidos foi uma afronta ao Estado brasileiro e a seu povo. Tudo orquestrado para impedir que a visita se tornasse um fato político relevante, mas o tiro saiu pela culatra. As imagens da turba enfurecida, a ausência da polícia e do engarrafamento artificial causaram comoção no Brasil. A comissão de senadores, involuntariamente, por conta das circunstâncias, ampliou a condenação ao regime ditatorial venezuelano ao se colocarem em tamanha vulnerabilidade.


Dilma Rousseff não se constrangeu com as manobras para bloquear o tráfego dos senadores em direção ao presídio, nem com a emboscada armada pelos camisas vermelhas de Maduro.


Como brasileiro, sinto-me constrangido. Cheguei da Inglaterra na semana passada. Sem exceção, todas as perguntas que me fizeram sobre o Brasil, em estações de trem, no metrô e no comércio, se referiam aos escândalos e à perda de credibilidade do governo. Algo assim é incompreensível no Reino Unido porque lá o regime proporciona condições para que maus governos caiam naturalmente, dentro da norma constitucional.

Após as manobras restritivas e antidemocráticas em que o governo de Nicolas Maduro envolveu o grupo de senadores brasileiros que visitavam o país, a presidente Dilma avaliou que a iniciativa da oposição colocou seu governo numa "armadilha", criando "constrangimento" para o Brasil. O Planalto sustenta que a viagem foi uma intromissão em assuntos internos da Venezuela.

Malafaia tem o benefício de poder processar o “jornalista” da Band. Um boicote à emissora seria uma ação não apenas ética como urgente.

Quer conhecer o “meio jurídico”? Para o UOL, ele se limita a quatro indivíduos.


É importante notar que esta questão não tem a ver com ateus versus teístas, mas com a luta entre a extrema esquerda e os republicanos. É vital que eu já abra com este esclarecimento visto que já presenciei direitistas seculares querendo distância do envolvimento em questões religiosas. Infelizmente, não é assim que avaliamos as coisas na guerra política.

Como os leitores sabem, sou ateu e não compactuo com várias das ideias de Malafaia. Mas a quantidade de ideias de Boechat às quais me oponho é muito maior. A vitória de gente como Boechat se configuraria em nossa escravidão, pois ele não passa de um socialista retinto. Então, não falamos em neutralidade por aqui.

"Não há salvação para o homem honesto, a não ser esperar todo o mal possível dos homens ruins."
Edmund Burke


Como já disse algumas vezes, o cheiro de sangue inocente causa verdadeiro frisson entre os desarmamentistas, e isso fica mais uma vez comprovado com o recente ataque de um jovem racista à uma igreja nos EUA.

Dylann Roof sentou-se calmamente entre o rebanho do Rev. Clementa Pinckney e ali ficou aproximadamente uma hora antes de abrir fogo contra mulheres, homens e idosos absolutamente indefesos. Imediatamente, Obama e outros desarmamentistas correram aos ávidos repórteres para falar sobre armas e como os EUA eram uma nação violenta e racista. Centenas de reportagens foram geradas e exibidas e da boca deles nem uma só linha, nem uma só palavra de alguns fatos que narro a seguir.


Sim, tem reaçada na floresta! E somos cada vez mais numerosos! E não vamos nos intimidar. Nem parar. Nem retroceder.


Trauma. A 1ª Guerra Mundial está para a explosão da revolta socialista como o 11 de Setembro está para o terrorismo islâmico do século XXI e o irracionalismo da moral biônica da Nova Ordem Mundial.

Repare que no fim do século XX também ocorreu um movimento semelhante ao da Belle Époque, tanto em avanço econômico-tecnológico, quanto no alastramento de um sentimento de otimismo baseado na virada do século (alguém aí lembra da Era de Aquário que estaria chegando?). Se eu não me engano foi o Otto Maria Carpeaux que identificou um certo excesso de otimismo na literatura modernista do início do século, assim como também um sentimento volátil de que alguma coisa muito ruim estava prestes a acontecer. O universo pop (que foi a 'literatura' de pelo menos a segunda metade do século XX) também padeceu de um excesso de otimismo e de pessimismo semelhante ao do início do século de Lênin. Basta dar uma olhada nos últimos álbuns musicais e filmes da virada do ano 2000 para perceber que existia uma euforia, e ao mesmo tempo um corvo sobrevoando tudo aquilo.

A redenção da América Latina depende do desmonte de inúmeros esquemas e organizações criminosas, que vão desde o PT e o Foro de São Paulo, até o PSDB e o Diálogo Interamericano.



Em julho de 1995, a revista do Foro de São Paulo, chamada América Libre, delineou o seguinte em sua 7ª edição:

"Estratégia de Chiapas - combinando levantes armados, ocupações de terras em massa e uma campanha de ASSEMBLEIAS CONSTITUINTES para reformar as CONSTITUIÇÕES NACIONAIS - estratégia adotada por todo o continente."

Em um rápido panorama, a Estratégia de Chiapas tem como base a rebelião armada anticapitalista promovida pelo EZLN (Ejército Zapatista de Liberación Nacional) contra o governo mexicano, em 1994. Indo um pouco mais além, as origens do EZLN remontam à FLN (Frente de Liberacíon Nacional), organização político-militar que tinha como objetivo uma insurreição nacional e posterior implantação de um regime socialista no México.

As críticas de Hannah Arendt ao julgamento de Eichmann a antipatizaram com a liderança do Mapai (o partido socialdemocrata, à época no poder em Israel, sob a liderança de Ben Gurion), mas nem de forma remota respaldam as invenções repugnantes que Bourdoukan escreve.

Resta-nos esperar, agora, que o Ministério Público Federal, logo depois o Poder Judiciário, revelem as razões pelas quais essa gente, que acredita e propaga esta espécie de lixo pelos campi universitários, digam seus motivos para obter uma relação de israelenses na UFSM.


O artigo Serão os semitas humanos? (revista Caros Amigos, nº 68, novembro de 2002), do jornalista Georges Bourdoukan, é uma arenga antissemita que ao leitor atento, judeu ou não, só pode causar repulsa. Mas é importante começar este texto com uma menção a ele, porque Bourdoukan, que tem muita influência no meio político e estudantil trotskista, reproduz a revelação de uma história, segundo ele, secreta do sionismo, elaborada e difundida ainda pela extinta União Soviética, a partir da metade dos anos 1960 e hoje propagada mundo afora, por movimentos trotskistas pró-palestinos, como o tal Comitê Santamariense de Solidariedade ao Povo Palestino, ligado ao Foro Social Mundial Palestina Livre. O Foro se reuniu em Porto Alegre, há dois anos, com o apoio do governo Tarso Genro. As tais entidades que fizeram o pedido ao Reitoria da UFSM, para que fornecesse a informações se havia ou a perspectiva de haver, docentes ou discentes na universidade, estão entre os grupos de pressão que fizeram Tarso Genro, no final de seu governo, cancelar um convênio que o estado assinou em 2013 com a Elbit, uma empresa israelense de desenvolvimento tecnológico para aviação instalada em Porto Alegre. Tarso explicou, por meio de seu secretário de relações internacionais, que o governo gaúcho, com a decisão de romper com a Elbit, alinhava-se ao movimento internacional pelo boicote, desinvestimento e sanções contra o Estado de Israel, suas empresas, artistas, cientistas, professores e estudantes.

Esta matéria permanecerá nas assembleias legislativas e câmaras de vereadores até o próximo dia 24, tempo limite para que os Planos Municipais e Estaduais de Educação (PME e PEE, respectivamente) sejam votados e sancionados.

Hoje, centros acadêmicos, sindicatos, partidos políticos, entidades representativas de classe e imprensa, com raríssimas exceções, acham-se submissos à essa ideologia.


É provável que a compreensão dos vereadores e deputados estaduais acerca da Ideologia de Gênero seja confusa e imprecisa, como tem sido na sociedade. Isto porque há uma cortina de fumaça discursiva, instalada intencionalmente e muito bem articulada, para dificultar a chegada das diferentes informações às pessoas e formar um consenso sobre o tema. Esta dificuldade é posta ao público pela escolha lexical, a interdição de dizeres, uma rala e puída roupagem científica, além de um intrincado labirinto semântico para os seus conceitos, termos e nomenclaturas.

A notícia mais importante da semana passou despercebida e escondida pela grande mídia brasileira.

O 1ᵒ Encontro Parlamentar do BRICS, realizado em Moscou, contou com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, mais uma comitiva de três senadores e 13 deputados federais.

A discussão principal circulou em torno da criação de um Parlamento do Brics, aos moldes dos já existentes da Comunidade Européia e do Mercosul. É a implantação do Império Eurasiano no controle total do Brasil, com apoio dos nossos três poderes.


Ouça ao comentário de Alex Pereira, da Rádio Vox.


labgA obra do professor Alessandro Barreta Garcia intitulada 'Educação física e regime militar: Uma guerra contra o marxismo cultural' chega às livrarias em bom momento para os leitores brasileiros.

Esta obra, efetivamente, constitui uma crítica contra a monocórdia propaganda gramsciana que, nestes onze anos de dominação lulopetista, tomou conta do cenário cultural brasileiro, deformando totalmente o conceito de educação e substituindo-o pelo de doutrinação ideológica.

O autor, com rara coragem, não duvida em destacar os aspectos niilistas da proposta oficial no terreno da educação, que se tem traduzido em inúmeros fracassos nos programas educacionais apresentados pelo PT, quer no ciclo básico, quer no ensino secundário e no plano universitário.

No terreno da educação física, que constitui a especialidade do autor, as coisas não foram diferentes. Os técnicos do governo e os intelectuais associados à visão chapa-branca tentam, por todos os meios, desacreditar os programas educacionais vigentes antes da era lulopetista, como pertencentes a propostas que visavam a manutenção da exploração capitalista sobre as massas ignaras.

oj

Matheus Bazzo, Olavo de Carvalho e Josias Teófilo.

Acredito que o último intelectual brasileiro tão completo como Olavo de Carvalho foi Gilberto Freyre, que morreu em 1987. Por esse fato, eu sentia necessidade de um filme sobre Olavo, algo que ainda não existe, o que é lamentável."


“O Jardim das Aflições” é um documentário longa-metragem sobre a vida de Olavo de Carvalho que está em fase de produção. O idealizador e diretor do filme, que será gravado na Virgínia, Estados Unidos, é Josias Teófilo. O objetivo, segundo o cineasta, é captar o dia-a-dia, o trabalho, e um pouco da filosofia de Olavo. Teófilo destaca que se trata de uma produção livre de recursos do Estado, utilizando, para cobrir os custos, apenas o método crowdfunding (financiamento coletivo).

bnc

A Venezuela comprou 80 blindados Norinco VN4, adaptados para reprimir protestos,
produzidos pela estatal China North Industries Corporation (Norinco).


Desde o ano 2000, a China comunista aumentou mais de 20 vezes seu comércio com a América Latina, calculou o jornal El País, de Madri.