Novo curso de Olavo de Carvalho:

cursoOdeC

Nas livrarias:

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.

e&s

 


SPACÇO DO SPACCA

peterpan spacca

© Spacca para o MSM


Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Serão os grupos organizados, quase todos em consonância ideológica com o atual grupo no poder, quando não submetidos diretamente a ele, que definirão os rumos
da administração federal
.


A disputa pelo poder não é brincadeira de crianças. Os personagens que se envolvem nela querem, a todo custo, alcançar seus objetivos de domínio e, para isso, não medem esforços e não se limitam por qualquer rigor ético na consecução de seus planos. Os outros, aqueles que apenas observam tudo de fora, ingênuos que são, analisam as coisas apenas pela formalidade da lei ou pelos objetivos declarados pelos políticos. Dessa forma, não conseguem perceber a movimentação sorrateira que acontece, normalmente sem pressa, com o intuito de tomar as mais altas instâncias da nação de assalto. Quando esses objetivos ficam claros, muitas vezes já é tarde e resta apenas o lamento e a murmuração.

Lembro-me de Maquiavel afirmando que “quando as coisas mais graves são percebidas pelas pessoas mais simples, já é tarde demais”.


Tendo falhado na tentativa de comprar todo Congresso Nacional com o mensalão, o PT entrou, desde 2013 e até antes, numa nova fase: a do “golpe constitucional”. Trata-se de emitir decretos e mais decretos, medidas provisórias e mais medidas provisórias que vão, aos poucos, mudando todo regime de governo sem que ninguém perceba. Aproxima-se agora, com a Copa do Mundo, um período em que nove entre cada dez brasileiros estarão pensando em futebol. O décimo, talvez, se preocupe com greves e ônibus incendiados mas não haverá um só capaz de se lembrar de acompanhar, no próprio Diário Oficial da Revolução, aquilo que o partido estará encaminhando para votação e aprovando em frente às câmeras de televisão e de todo o país.

cwO sujeito não pode, na TV, em uma evidente troça, chamar uma mulher de "ordinária" – mas está livre para (a sério, a trabalho) fazê-la rebolar quase nua, na mesma TV, no meio da tarde de domingo, para toda família ver.


Somos nós, brasileiros, um povo sentimental, epidérmico e, por isso mesmo, raso, superficial. (Tanto que o termo “epidérmico”, que em seu sentido derivado primeiro possui as descrições negativas “sem profundidade” e “superficial”, derivou para um uso positivo, sendo ora sinônimo de reação inconformada.)Mas somos gente boa. Boa até demais, ao ponto de os aproveitadores deitarem e rolarem por aqui, aplicando sobre nossa superficialidadeuma engenharia social muito bem calculada.O resultado é um teatro dos absurdos continental.

Medidas coercivas que visam à redistribuição de riqueza farão apenas com que os espertos e os politicamente bem-relacionados enviem sua riqueza para o exterior ao passo que os desafortunados terão de arcar com o fardo do inevitável declínio econômico.


Gostaria muito de saber quem foi a primeira pessoa a proferir essa máxima. Ela certamente está entre as maiores verdades de todos os tempos, uma que é ao mesmo tempo simples e repleta de profundos significados.

A igualdade perante a lei — por exemplo, ser julgado inocente ou culpado baseando-se exclusivamente em você ter cometido o crime, e não em sua cor, gênero ou crença — é um ideal nobre ao qual nenhuma pessoa de bom senso se opõe. Por isso, não é o tema deste artigo. A "igualdade" a que a frase acima se refere está relacionada à renda econômica e à riqueza material.

Como você enxerga a gravidez, o bebê em formação? Como é a sua linguagem? Negativa? Você usa termos como “gravidez indesejada” ou coisa do tipo para rotular certas situações? Ou será que você a enxerga sob a ótica da Palavra de Deus?


Entre nossos políticos e burocratas, assistentes sociais e ativistas, militantes e intelectuais, existe uma tendência a tratar o aborto como prática normal, e sua liberalização como um alvo desejável. O aborto que se pretende legalizar no Brasil é um tipo de homicídio. Os que desejam sua legalização querem que o governo promova aquilo que é mau e dificulte aquilo que é bom. Nessa inversão de vida e morte, a mulher que teme a Deus nada contra a corrente da sociedade contemporânea. Faz ela muito bem.

Porém, sua estratégia muitas vezes é incompleta. É que, em diversas ocasiões nosso combate ao mal deixa a desejar, não vai além do básico. Para não dizer falso testemunho contra o próximo, basta fechar a boca. Para defender a honra do seu próximo, em palavra e pensamento, é preciso um esforço consideravelmente maior. Na luta contra o pecado, a tendência é pensar que basta não fazer o mal. É muito mais difícil ir além, promovendo ativamente o bem que esse pecado fere.

copa 2014-DILMAPrefiro nunca mais ver nossa seleção ganhar uma Copa do Mundo a ver o PT ganhando mais uma eleição presidencial.


Faltam 15 dias para a Copa do mundo. A lembrança chega até mim pelo Facebook, já que aqui nos EUA a gente não vê notícia nenhuma sobre o torneio.

Nunca deixei de acompanhar uma Copa. A primeira lembrança que tenho é da copa de 1982, e é uma memória bem vívida do jogo Brasil x Itália. Eu tinha 6 anos de idade e estava em Santa Rosa de Viterbo, interiorzão de São Paulo, na casa de meus tios. Quando o Falcão empatou o jogo pela segunda vez nós saímos correndo para a rua de paralelepípedos, nós e todos os vizinhos, na maior alegria. Todo mundo sabe que essa alegria não durou nem 10 minutos, pois o Paolo Rossi estava inspirado naquela tarde e marcou três num jogo só. Foi o nosso “arrivederci”…

Embora poucas pessoas percebam, as eleições presidenciais na Colômbia têm um peso decisório
no futuro do nosso continente.


No domingo 25 de maio ocorreram duas eleições de considerável importância no nosso continente: na Venezuela, não pelos cargos disputados mas pela resposta da oposição venezuelana ao autoritarismo do ilegal presidente Nicolás Maduro e na Colômbia, fundamental para decidir se o país se transformará em mais um satélite castro-comunista com as FARC no poder.

 

Em meados de fevereiro deste ano, Maduro, sob as ordens dos ditadores Castro, depôs e fez colocar na cadeia com uma condenação de 12 meses de prisão, dois prefeitos que se opuseram a combater os manifestantes que armavam barricadas para se defender dos ataques da Polícia e Guarda Nacional que atacavam os estudantes sob as ordens de Maduro. Depostos os prefeitos Daniel Ceballos, de San Cristóbal, estado Táchira, e Enzo Scarano, de San Diego, estado Carabobo, Maduro decretou os cargos vacantes e convocou eleições para 25 de maio. O que ele não contava é que as esposas dos prefeitos encarcerados iriam concorrer aos cargos para dar continuidade ao trabalho de seus maridos.

Olavo de Carvalho: “Leitura importante.”

“Ronald Reagan apontou que o comunismo “não é nem um sistema político, nem econômico – é uma forma de insanidade – uma aberração temporária que um dia desaparecerá da face da Terra porque é contrária à natureza humana. Imagino quanta miséria causará antes de desaparecer” (Reagan in his own hand)”.
Heitor de Paola em O Eixo do Mal Latino Americano e a Nova Ordem Mundial. Pg. 36


Jack Cashill é alvo de ataques de falsa-bandeira com o objetivo de confundir membros do Tea Party

O preço das ações do Twitter está em queda enquanto escrevo, e eu conheço ao menos uma razão para isto. Trata-se de um ambiente completamente instável e politicamente parcial e não aquele local aberto à diversidade de ideias e pensamento que ele finge ser.

Não há como os acionistas estarem felizes. Em verdade, eles têm todo o direito de estar furiosos. No dia depois do Natal, as ações do Twitter estavam sendo negociadas próximas ao preço de US$ 75 cada ação. Hoje elas são negociadas por US$ 31 cada.

A técnica de ampliar o significado das exceções para os casos de aborto até torná-las tão amplas que na prática possam abranger todos os casos é recomendada pelos principais manuais das fundações internacionais que orientam as ONGs por elas financiadas.


Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.845/2013, abrindo assim brechas para a prática do aborto no sistema SUS, com recurso público. Agora, com a publicação da Portaria nº 415, de 21 de maio de 2014, o aborto passa a ser financiado pelo estado brasileiro na rede pública de saúde.

Os organismos que estão trabalhando internacionalmente pela aprovação do aborto são as fundações (que planejam e financiam as ações) e as organizações não governamentais (que as executam) e que promovem tudo isso com enormes somas de dinheiro, como as Fundações Ford, Rockefeller, MacArthur, a Buffet (entre as fundações), e a International Planned Parenthood Federation (IPPF, que tem filiais em quase 150 países), a Rede Feminista de Direitos Sexuais e Reprodutivos, as Católicas pelo Direito de Decidir (que não são católicas, mas usam o nome para confundir principalmente os católicos), a Sociedade de Bem-Estar Familiar no Brasil (Benfam) e a International Pregnancy Advisory Services (IPAS), entre as ONGs. A filial norte-americana da IPPF, por exemplo, detém uma rede que abarca 20% de todas as clínicas abortistas dos Estados Unidos. Segundo a fundadora das falsas “Católicas pelo Direito de Decidir”, Frances Kissling, a IPPF só trabalhou na propaganda pela legalização da prática do aborto nos EUA, mas não queria entrar diretamente no negócio das clínicas “para não ser estigmatizadas” pelo público. Mas, numa longa entrevista tornada pública, ela mesma conta que as fundações que financiam as atividades da IPPF obrigaram-na a entrar diretamente na estruturação e gerência da própria prática do aborto, tornando-se hoje a maior promotora de abortos na América e no mundo.

Pergunto-me se Hayek teria escrito o mesmo ensaio hoje, tendo em vista que muito do que o separava dos conservadores é diferente hoje, tendo o estado crescido enormemente e num poder que provavelmente sequer foi imaginado.


Em honra ao aniversário de F.A. Hayek, vamos considerar por um momento como ele se interpretou mal. No seu ensaio “Por que não sou um conservador” o economista e filósofo argumentou por um programa anti-estatista radical, em contraste com um conservadorismo que apenas desejava diminuir o ritmo do assim chamado progresso ou empreender uma defesa do status quo.

Porém, o início do conservadorismo americano enquanto movimento político normalmente nos leva ao New Deal, e, até o advento do neoconservadorismo, ele tinha como foco em repeli-lo. Hayek dá a impressão de estar consciente disso quando escreve:

Essa foi, como disse Dr. Fernando Londoño, a quarta vitória de Uribe.


As eleições mais importantes do nosso continente ocorreram hoje, na Colômbia, que elegia um novo presidente. Desejávamos todos, colombianos e eu, que a contenda fosse resolvida no primeiro turno mas apesar de não ter havido fraudes do tipo das venezuelanas, Santos, acolitado pela imprensa, tentou de todas as formas até impedir a candidatura de Oscar Iván Zuluaga do Centro Democrático, partido fundado pelo atual senador e ex-presidente Uribe.

Faltando uma semana para as eleições, a revista Semana, de propriedade da família Santos, armou uma montagem fraudulenta de um vídeo onde aparece o candidato Zuluaga “tramando” um golpe de Estado contra Santos, conforme denunciei na edição anterior a essa. Experts de várias empresas fizeram a perícia e apontaram entre 17 e 30 edições, o que caracterizava o crime. O advogado de Zuluaga, Dr Jaime Granados, fez uma denúncia no Ministério Público com essas provas, porém, para espanto de todos tal ministério não analisou o vídeo fraudado mas o original, afirmando no final que “o vídeo é autêntico”. E foi assim, com essa espada de Damocles sobre a cabeça que Zuluaga partiu para enfrentar os eleitores.

Para um agente de influência guiar políticos e analistas rumo à direção “correta”, basta que se use corretamente as fraquezas humanas.

A contínua e fracassada tentativa direitista de conter a onda socialista que divide politicamente a própria direita em subgrupos antagonistas é indício do fato de que os agentes foram enviados há muito tempo para essa operação de infiltração ― e eles já cumpriram a missão.


Você talvez já tenha tentando imaginar por qual razão a União Soviética e a Internacional Comunista nunca pensaram em se infiltrar na direita americana. Mas, e se eles já fizeram isso? Com efeito, eles já devem ter feito isso, pois os comunistas sempre se infiltram e pervertem seus inimigos, e a direita americana é o coração do lado capitalista. Sendo assim, é inconcebível que eles não tenham se infiltrado na direita. Isso significa que eles estão aqui e agora no meio de nós (dado que os comunistas nunca foram embora, a despeito do que aconteceu entre 1989 e 1990). Esta última afirmação não deve ser feita em uma sociedade de pessoas melindradas, tendo em vista que poucos estão informados o bastante para saber o quão válida ela é. Noventa e nove por cento das pessoas preferem acreditar que tudo isso seja uma mentira, da mesma forma que um ex-primeiro ministro disse ao alcance dos meus ouvidos: “Reagan e Thatcher salvaram o Ocidente do socialismo”. Mas eis que um russo e ex-coronel da GRU, que sentado próximo a mim, sussurra em meu ouvido: “Mas a América é o paraíso marxista”.

Já nos primeiros dez minutos do seu debate com Flávio Morgenstern no Grêmio Politécnico, sobre a ditadura militar (v. https://www.youtube.com/watch?v=5h3jnaGz59Q&feature=youtu.be), o prof. Igor Fuser exemplificou com rara concisão a regra de que ninguém pode mentir com eficiência se não falsifica primeiro a própria situação de discurso.

 

Ele começou se queixando de que não há espaço para debates sobre o tema na grande mídia, onde reina a versão oficial única e indiscutível. Quem o ouvisse acreditaria, portanto, estar diante de um porta-voz da minoria amordaçada. Uma vez transmitida essa impressão, o prof. Fuser estava livre para impingir à platéia, sem temor de represálias, a mesma versão oficial à qual ele parecia se opor. E assim ele fez.

Eu amo esses caras! Eles falam pelas vozes de tantos traídos, de tantos iludidos! A eleição do próximo dia 5 de outubro passa a depender muito, muito mesmo, da ruptura que fizeram com seu passado recente.

 


De uns tempos para cá se tornou impossível encontrar um novo petista. Só há velhos petistas. Por muitos anos, contudo, não foi assim. O sujeito vinha de uma família tradicionalmente ligada ao PSD, ao PL ou à UDN e, depois, à ARENA ou ao PDS. Contava anos e anos votando nos partidos conservadores ou liberais. E de repente - vupt! -, se bandeava para o Partido dos Trabalhadores. O PT era o novo, oposição "a tudo isso que está aí", e era promissor (promessas e leviandades permitidas à oposição não faltavam ao PT, que navegava nas águas serenas da utopia). Durante anos, a gente via isso acontecer todo dia, toda hora. O partido da estrela se expandia com velocidade de seita evangélica, salpicando de estrelinhas os espaços urbanos do país. Cada novo petista considerava-se a mais recente encarnação do Bem. Em seus olhos luzia um brilho místico, como se houvessem presenciado revelação particular de alguma divindade. O petismo era mais do que uma religião. Era, concretamente, o novo Céu e a nova Terra.

billIgualdade e inclusão não se fazem com favores do governo, com bolsa família, com ajudinha temporária.
Inclusão e igualdade se fazem com oportunidade de emprego, com salários dignos e preços acessíveis.


Antes de qualquer coisa eu gostaria de deixar claro que nunca fui “paga pau” desse país. Aliás, até vir para cá, e quando eu ainda acreditava nas mentiras do aquecimento global, eu nutria um certo desprezo por saber que os Estados Unidos não tinham assinado o tratado de Kyoto e, por ter estudado biologia, sempre achei isso um absurdo. Enquanto o mundo todo lutava para reduzir as emissões de gases na atmosfera, os americanos só pensavam em dinheiro.

Bastaram duas visitas para eu decidir por me mudar com meu marido para cá. E hoje, vivendo aqui há quase 30 dias, minha percepção mudou bastante, e posso dizer que a adaptação não tem sido uma das coisas mais fáceis, mas que estamos conseguindo evoluir a cada dia.