Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Nossa jurisprudência manuseia as garantias constitucionais sempre em detrimento das que se referem à segurança pública.

A reportagem especial de ZH na edição da última segunda-feira me deixou preocupado. Tudo indica que o novo Código de Processo Penal, inibindo a colocação de algemas, jogará a polícia ao desabrigo, dará mais regalias aos réus, dificultará a vida do Ministério Público, ampliará para oito o número de jurados e o placar para condenação subirá de 4 a 3 para 5 a 3. Por aí vai. Mais dia, menos dia, vamos colocar tornozeleira na Polícia, algemar os promotores e estabelecer quota máxima de sentenças condenatórias por magistrado. Excedo-me na ironia? Saí da casinha? No Brasil, nada é mais realista do que o completo absurdo, caro leitor. Lembra-se do caso da professora de Viamão? Ela quis educar seus alunos, fez o rapazinho repintar o que escrevera nas paredes da escola e, em duas semanas, estava diante das instituições, obrigada a engolir as próprias palavras e a penitenciar-se. Por um triz não a obrigaram a escrever cem vezes no quadro negro: "Não devo disciplinar meus alunos". Estivesse vendendo droga na escola tudo seria mais frouxo, mais vagaroso e ela contaria com maior proteção. Nesta terra, disparate é a sensatez!

Olavo de Carvalho expõe a cumplicidade da justiça colombiana com o narcotráfico, apresentando os absurdos relativos ao processo fraudulento que resultou na condenação do Cel. Plazas Vega, cuja trajetória é marcada pelas vitórias contra as Farc.

BOGOTÁ - Em 6 de novembro de 1985, terroristas do grupo M-19, financiados pelo narcotraficante Pablo Escobar, invadiram o Palácio da Justiça, em Bogotá, mataram a tiros dezenas de pessoas, atearam fogo aos arquivos (Escobar tinha boas razões para isso) e montaram um arremedo de tribunal, exigindo que o presidente Belisario Betancur se apresentasse para ser julgado por crimes de natureza um tanto evanescente.

Como o salário mínimo impede que muitos jovens consigam empregos básicos, eles nunca poderão desenvolver as habilidades necessárias para aspirar a empregos que paguem melhores salários.

Em um livre mercado, a demanda sempre será função do preço: quanto maior o preço, menor a demanda. O que é surpreendente para a maioria dos políticos é que essas regras valem igualmente tanto para os preços quanto para os salários. Quando os empregadores avaliam suas necessidades de capital e mão-de-obra, o custo é um fator primordial. Quando o custo de se contratar mão-de-obra pouco qualificada aumenta, vários empregos serão liquidados. Não obstante tudo isso, aumentos do salário mínimo sempre são vistos como um ato de benevolência governamental. Nada poderia estar mais distante da verdade.

Não consigo ver o tal carisma neste senhor Lula, destituído de qualquer traço de civilidade, já que lhe faltam valores essenciais. Por esta razão, seu governo é dionisíaco, de carnavalização total.

Tenho lido muitas referências ao carisma de Lula e, agregado a este dom cósmico, o tal índice de aprovação de seu 'governo'. Talvez, a minha repugnância por esta ínfima criatura não me permita enxergar nada além de uma esperteza vulpina a substituir a sua ignorância asinina.

Se você acha que barbudinhos neo-banhados e metidos em ternos caros sabem mais do que você próprio como investir o seu dinheiro, entregue-o todo voluntariamente a eles.

Afinal, o que significa, pois, algo como um empréstimo concedido pelo BNDS ou qualquer outra entidade similar? Eis aí toda a teoria do empréstimo público: arrancar de suas mãos o dinheiro conseguido mediante árdua labuta para concedê-lo em condições privilegiadas a uns poucos.

Nem sequer há indícios sérios, repetidos e concordantes contra o acusado. Esse veredicto tem, ao menos, um lado positivo: ele fará com que milhões de colombianos abram os olhos sobre o que há por trás da crise da Justiça colombiana.

Há alguns dias, uma certa imprensa tratou de nos fazer crer, com ajuda de algumas pesquisas, que Antanas Mockus ganharia no primeiro turno da eleição presidencial. Era uma mentira. Essa mesma imprensa, com a ajuda de uma juíza, trata agora de nos fazer crer que o coronel Luis Alfonso Plazas Vega, o herói da libertação do Palácio da Justiça em novembro de 1985, que resgatou 244 reféns que haviam caído nas mãos dos terroristas, é o responsável pelos "desaparecimentos" do Palácio de Justiça.

runkidsrunO que muita gente suspeitava está agora vindo à luz, e não é de admirar que o número de vacinados não tenha sido elevado nos EUA e Inglaterra, deixando enormes estoques parados da inútil vacina que custou milhões de dólares.

Durante muitos meses tenho acompanhado o noticiário internacional e, lendo vários jornais seculares dos EUA e Inglaterra, um fato ficou claro: a pandemia da gripe suína estava envolta em graves problemas éticos e médicos, inclusive morte de jovens vacinados. E agora sai a bomba de que a vacinação foi desnecessária.

O Exército Nacional não só criou a República, como a salvou em centenas de oportunidades em que a incompetente direção civil foi incapaz de resolver graves problemas sócio-políticos gerados por ela mesma.

Mediante uma manobra tática de alto risco operacional, as Forças Especiais do Exército resgataram sãos e salvos o general Luis Mendieta Ovalle, os coronéis Enrique Murillo e Donato Gómez e o sargento Arbey Delgado, seqüestrados e torturados pelas FARC há mais de uma década.

Apenas uma escola de pensamento econômico previu a recessão de 2008-2009: a Escola Austríaca. Seria a teoria austríaca capaz de explicar essa nova situação?

Há um velho ditado no mercado financeiro que diz: "Sell in May and go away" (que, numa tradução livre, significa "Venda em maio e caia fora"). Dados recentes reforçam esse provérbio.

Dilma não é apenas o continuísmo, é o mergulho do Brasil na associação com os revolucionários, os ditadores, os Estados delinqüentes, os narcotraficantes travestidos de estadistas na Venezuela, Equador e Bolívia. Veja omitiu-se vergonhosamente sobre o assunto.

A entrevista de Dilma Rousseff estampada por Veja na sua última edição é um exemplo de anti-jornalismo. O que poderia ser a oportunidade para aquele veículo de comunicação mostrar as entranhas da candidata do PT tornou-se um exercício de levantamento de bolas para ela cortar, em favor de sua campanha. Uma vergonha jornalística, uma propaganda política disfarçada. Quero sublinhar aqui alguns trechos, pois as páginas amarelas de Veja serviram mais para ocultar do que para revelar o essencial da candidata.

poorSouthAfricaO evento da FIFA precisa dos governos em virtude da insaciável atração que essas instituições têm por negócios que fecham no vermelho. À entidade promotora reserva-se o filé: os direitos de transmissão e os patrocínios oficiais.

Quem escreve este artigo gosta de futebol, é torcedor do Internacional (cada um com os seus problemas, não é mesmo?), vibra com a seleção brasileira e estará na frente da "telinha" (já nem tão telinha assim, admita-se) em todas as partidas da Copa que puder assistir. Portanto, não me acusem de abordar este tema na mesma perspectiva de quem seja contra desfile de escola de samba porque não gosta de samba nem de desfile. Não é o meu caso. Não sou contra a Copa do Mundo. Sou contra a realização da Copa do Mundo na África do Sul. E no Brasil.

Terras por paz. Lembram-se? Na última década, Israel deu terras - evacuou o Sul do Líbano no ano 2000, e Gaza em 2005. O que ganhou em troca? Intensificação da beligerância, pesada militarização dos inimigos, múltiplos seqüestros, ataques pela fronteira, anos de incessantes bombardeios com foguetes.

O mundo está horrorizado com o bloqueio israelense a Gaza. A Turquia denuncia sua ilegalidade, desumanidade, barbárie, etc. Os habituais suspeitos da ONU, o Terceiro Mundo e os europeus, aderem. O governo Obama treme.

A redução de tributos implica em eficiência, redução de gastos e burocracia, corte de privilégios. Isso, de fato, dá muito trabalho para menos dinheiro. Qual é o incentivo que fará um político trabalhar mais para ter acesso a menos dinheiro?

O estado é um polvo que também se alimenta pelos braços, não só pela boca. O estado já deixou de ser o Leviatã, personagem simbólico, mas inexistente. No dia 1º de junho, o presidente da República deu uma declaração raivosa que é uma carta de princípios: "Quem tem carga tributária de 10% não tem estado. O estado não pode fazer absolutamente nada".

O colunista jamais contraria o uso de crianças por parte do Hamas e Hizbollah, nem mesmo ao apedrejamento de mulheres, mas basta Israel defender seus cidadãos, que sai da frente: VM torna-se procurador dos árabes terroristas.

O jornalista Valdemar Menezes, em sua coluna Concidadania publicada no jornal O Povo do último domingo, repete a ladainha contra Israel exalando o ar indignado dos que falam em nome da comunidade internacional.

O Olavo de Carvalho escreve sobre essa história de globalismo há tempos. Confesso que eu achava que ele estava pirando na batatinha. Não acho mais.

No outro post, um pouco abaixo, eu indagava sobre o curioso motivo que teria impelido os EUA de Clinton a ajudarem os jihadistas muçulmanos contra os sérvios, e o mesmo Clinton a vender segredos militares à China. Ainda antes, eu tinha comentado sobre o aplauso que o presidente mexicano recebera dos Democratas por criticar leis americanas em solo americano.