Una disfunción eréctil puede ser el resultado de afecciones y enfermedades, medicación o estilo de vida. En primer lugar, es un problema físico. A menudo, factores psíquicos como el estrés y el miedo ayudan a mantener o empeorar los problemas eréctiles. Comprar viagra generico en barcelona saber cuál es el medicamento ideal para usted depende de diferentes factores. L'excitation sexuelle masculine est un processus complexe qui implique le cerveau, les hormones, les émotions, les nerfs, les muscles et les vaisseaux sanguins. La dysfonction érectile peut résulter d'un problème avec l'un de ces. De même, le stress et la santé mentale préoccupations peuvent causer ou aggraver la dysfonction érectile. Où commander cialis sans ordonnance vous avez trouvé une #pharmacie en ligne ici http://trendpharm.com/ #cialis. Lorsque des problèmes se produisent dans la chambre, les émotions peuvent exécuter élevé. Si vous avez commencé à éviter les rapports sexuels par crainte de ne pas obtenir une érection, votre partenaire peut commencer à vous pensez ne trouvent plus attrayants. Sentiments se blessent. En couple commencent à se sentir moins intime. Le ressentiment se insinue.

 


SPACÇO DO SPACCA

vspacca

© Spacca para o MSM



Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32twittericonYoutube_32x32facebook_32Feeds_32x32Mail-32currency_blue_dollar-32

Hitler estaria perfeitamente satisfeito com nossas democracias ocidentais. Aliás, não foram os alemães que votaram nele?


Ouvimos uma história trágica, para não dizer terrível:a de que famílias holandesas são autorizadas a praticar eutanásia contra parentes considerados “inválidos”.  A atuação em si, já demonstra um sinal claro da mudança moral dos nossos tempos. Não vou longe: uma mudança para pior, uma baixeza moral com precedentes dos mais abjetos possíveis. Aquele zelo, aquele amor cristão, até então arraigado em nossa consciência sobre o sofrimento alheio, foi simplesmente apagado. Não vemos mais o incapaz, o aleijado, o inválido, como um irmão a ser cuidado. Eles agora são considerados tão somente um estorvo, um peso a ser carregado pela sociedade.

“Onde quer que eu vá, as pessoas me elogiam pelo que fiz”, disse Arpaio à rádio Voz da Rússia. “Então é claro que esse é provavelmente o maior caso de censura e acobertamento na história do jornalismo, pois ninguém em nível nacional está noticiando o caso”.

 
Enquanto os principais jornais americanos fogem de notícias sobre a investigação da elegibilidade de Obama, a rádio estatal da Rússia mantém o mundo a par do escândalo que gerou “a maior censura e acobertamento da história do jornalismo”.

As FARC jamais ocultaram suas intenções. Para estes comunistas, a luta armada continua vigente e não está em questão; a tomada do poder pelas armas e a insurreição, melros dourados de Lenin, estão presentes e jamais conseguirão tira-lhes o fuzil.


Desmascarada aquela fanfarronada de que o terrorismo é contrário ao marxismo ou ao marxismo-leninismo, a luta armada ganha para os comunistas uma das formas de luta que Lenin brandia. Sim, a luta armada é “uma” das formas de luta com que os comunistas combatem a democracia, a liberdade. Não obstante, é oportuno perguntarmos: As FARC promovem ou praticam a luta armada? Sim, e ainda a promovem com orgulho. Outra vez, deixemos que sejam os cabeças das FARC e ínclitos membros do Partido Comunista Colombiano que nos iluminem em tão densas trevas.

A esquerda sem dúvida evoluiu. Desistiu de tomar conta do mundo pelas armas e partiu para criar embaraços entre países, defendendo programas que tornam o Estado mais forte e influente na economia.


A propaganda política tem uma irresistível atração para  esconder perfis de pessoas, pensamentos e tentar vender gato por lebre. Desde que a II Guerra Mundial terminou, a Internacional Comunista optou em usar, em sua propaganda, intelectuais, escritores e jornalistas. Servindo-se deles para a defesa aberta ou disfarçada de teses que pudessem enfraquecer o capitalismo e, em especial, prejudicar a imagem dos Estados Unidos. Para tal, a seleção de instrumentos sempre incluiu autores norte-americanos, que, supostamente, seriam incapazes de defenderem posições antiamericanas e capitalistas. Era como se os EUA fossem uma democracia sem marxistas e seu modelo político e econômico fosse uma unanimidade nacional.  

O homem atual não vive no espaço e no tempo; em vez disso, vive na geometria e nos cronômetros.
Nicolás Gómez Dávila

Num dos últimos programas “Avenida da Liberdade” na RTPN, Bagão Félix chamou à atenção para o fenômeno da extrema efemeridade dos acontecimentos, e a tal ponto que fatos e eventos de relevo são esquecidos a uma velocidade estonteante. Na década de 70 do século findo, Alvin Toffler já nos tinha precavido deste fenômeno emergente da velocidade dos acontecimentos, mas nunca o americano poderia ter previsto o caráter de extrema radicalidade da vertigem dos fatos e, sobretudo, as consequências dessa radicalidade não só para a cultura antropológica e intelectual, mas também e essencialmente para a organização da vida em sociedade.

Obama deu para si mesmo poderes ditatoriais. “Essa é uma aspiração que está no coração de todos os coletivistas desde tempos imemoráveis”, observa William Norman Grigg. Na imprensa brasileira, silêncio total a respeito.


WASHINGTON, D.C., EUA, 28 de março de 2012 (LifeSiteNews.com) — Uma ordem executiva pouco notada decretada neste mês permitirá que o governo dos EUA se apodere de todos os recursos nacionais (inclusive comida), aliste civis nas forças armadas ou trabalho escravo, controle todos os meios de comunicação e racione os serviços de saúde “para promover a defesa nacional”. O Congresso poderá receber informações sobre as ações do governo, mas não tem nenhum poder para alterá-las. A ordem executiva do presidente Obama completa a “matrix de lei marcial” que entrega todos os recursos nacionais ao governo central de Washington, um proeminente escritor disse para LifeSiteNews.com.

Essa lei não é constitucional porque esteja de acordo com a Constituição, mas porque o Supremo declarou que está.

Para quem não lembra, o projeto de lei que se tornou conhecido como da "Ficha Limpa" foi aprovado na Câmara dos Deputados com 412 votos a favor e nenhum contra. Depois, tramitou no Senado e saiu de lá consagrado com um placar de 76 votos a zero. Está bem, nem toda unanimidade é burra, mas nessa aí, obviamente, havia alguma coisa estranha. À época, pensando a respeito, deduzi que a porção menos virtuosa, menos seráfica, dos dois plenários votara convencida de que a lei não seria para valer. Ela não haveria de passar pelo rigoroso crivo do STF. De fato, para o pleito de 2010 não passou. Mas agora, em 2012, retornou às portas do Supremo e ... surpresa! Colheu a bênção de sete ministros.

miltares ae fabio motta 29032012

A baderna ocorrida no Rio de Janeiro contra o Clube Militar, antecipa o que está por acontecer no Brasil que, sob o domínio de Lula, do PT e seus
sequazes, se encaminha para transformar-se numa nova república comunista.


Comentário de Graça Salgueiro:
No último dia 29 de março os militares, que foram proibidos de fazer qualquer manifestação alusiva ao 31 de Março, resolveram realizar uma conferência acerca da histórica data no Clube Militar no Rio de Janeiro, uma vez que aquele clube não está subordinado às Forças Armadas por ser uma entidade civil. Entretanto, o evento foi marcado por um enorme tumulto em frente ao prédio, onde jovens que sequer eram nascidos e tudo o que sabem a respeito da ditadura lhes foi ensinado pelos mesmos antigos comunistas que queriam instalar uma ditadura comunista em nosso país e que, hoje anistiados, tornaram-se professores de escolas, universidades, articulistas da grande mídia, etc.

O problema é que quando se denuncia esse tipo de coisa, as pessoas, submersas em seus cotidianos alienantes, vêem apenas uma provável paranóia do denunciante.


O impensável já começou a acontecer. O próprio tribunal superior do país (STJ) já está julgando a favor da pedofilia. E isso só acontece porque, em alguns momentos antes, da mesma forma usurpadora, o mesmo tribunal legislou, como também fez o tribunal supremo (STF), e, como suas decisões foram favoráveis ao gosto dos esquerdistas, ninguém falou nada.

Se protestar é pagar baderneiros de aluguel para intimidar velhos indefesos, então se faz necessário um novo verbete.

Leio hoje na capa do jornal “O Liberal”, de Belém, uma matéria cujo título é este: “Manifestantes protestam contra saudosistas da ditadura”. Como os leitores podem constatar, o autor já manifesta sua adesão a um dos lados pela forma com que redige sua manchete.

É preciso responsabilizar os reais autores pela oclocracia instalada. A imprensa, infiltrada de agentes gramscianos, a classe letrada como um todo, o acovardamento das lideranças empresariais, e os partidos políticos, todos eles socialistas em diferentes graus.


O artigo de Marco Antônio Villa publicado hoje na Folha de São Paulo (“O assunto é democracia brasileira”) está muito bom, por recordar os fatos políticos da nossa história recente, embora eu tenha severas objeções a alguns pontos de vista nele contido. O prólogo do artigo não poderia ser mais sombrio: “Fracassamos. Há despolitização, corrupção nos três Poderes e oligarcas como Sarney. A Nova República fez aniversário, ninguém lembrou. Havia motivo?”

A Universidade de Brasília é um dos baluartes da deliberada instrumentalização do ensino superior em prol da ampliação e do aprofundamento das ideologias de fundo marxista no Brasil. Na atualidade, é difícil encontrar uma instituição federal de ensino superior que assuma tal protagonismo como o faz a UnB – algo que, salvas as devidas proporções, pode-se comparar com a USP e a Unicamp nos anos 1960 e 1970. Uma das atividades que compõe esse protagonismo foi divulgada recentemente: a abertura de mais um vestibular para Licenciatura em Educação do Campo.

Mas, afinal, do que se trata Educação do Campo?

“A dor da injustiça”. A esposa do Cel. Plazas Vega fala do drama que sua família, bem como a de todos os militares colombianos, têm vivido, e aponta: “na Colômbia há uma guerra que já dura mais de meio século e os inimigos da pátria, ante seu fracasso militar, tratam agora de ganhá-la manipulando os tribunais judiciais”.


Hoje quero ser porta-voz da “mulher” de militar. Utilizo este termo tão espanhol porque é, primeiro, uma palavra que eu gosto muito e porque sinto, ademais, que esta palavra abarca toda a essência do que quero descrever: quer dizer, a mãe, a esposa, a filha e a companheira do militar. É uma palavra que me identifica e identifica muitas mulheres que conheço e outras que não conheço, mulheres anônimas que estão sofrendo e padecendo em silêncio a mesma carga que estou levando desde há cinco anos, e que elas vivem também como esposas, mães e companheiras.

Quando surge um ou outro pequeno site conservador, este imediatamente é alvo das atenções não só daqueles que abominam o conservadorismo, mas daqueles que se consideram especialistas e superiores a ele.


A hegemonia da esquerda nos meios de comunicação, entre outros efeitos nefandos, provoca um fenômeno peculiar: quando surge um ou outro pequeno site conservador, este imediatamente é alvo das atenções não só daqueles que abominam o conservadorismo, mas daqueles que se consideram especialistas e superiores a ele. Encontrando nesse meio uma brecha para submeter suas opiniões ao crivo de um público mais sério e honesto do que os esquerdistas – notórios por seus ideais ilógicos e meramente propagandísticos – aterrissam nesse solo com a avidez do ditado “quem nunca comeu melado, quando come se lambuza”.

Obama deu a si mesmo poderes ditatoriais em momentos calculados para desviar as atenções e frustrar a divulgação. A precaução acabou por se revelar desnecessária: jornais e canais de TV, levando a solicitude até o último limite, não publicaram praticamente nada a respeito.

 
Escolados pelo precedente do Foro de São Paulo, cuja existência lhes foi ocultada durante dezesseis anos pela mídia soi disant respeitável, alguns leitores brasileiros talvez não se sintam tão espantados ao ver que o New York Times, o Washington Post, a CNN e demais organizações jornalísticas de maior prestígio nos EUA, mesmo depois do pito que levaram do Pravda, continuam sonegando ao público qualquer notícia sobre os documentos forjados de Barack Hussein Obama.