Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32twittericonYoutube_32x32facebook_32Feeds_32x32Mail-32currency_blue_dollar-32

O Papa Bento XVI não está preocupado em receber parabéns pelo que não disse ou em agradar a ONU, a Organização Mundial de Saúde, França, Inglaterra, Brasil ou o G7, 8, 9...

O Papa Bento XVI não mudou, absolutamente, nada no Magistério da Igreja Católica quanto à sábia proibição do uso de preservativos para casados, solteiros, viúvos, separados, juntados...

A questão é simples. Porém, sempre existe a turma que precisa de uma, duas, três explicações ou até que se faça uso de desenho para que possam finalmente entender.

É mais do que óbvio que por trás do assunto dos "direitos de gays" no Oeste há uma política turva e uma mentalidade não somente anticristã senão que se opõe à mesma civilização em si.

Recentemente o Papa afirmou que o homossexualismo é "contra a natureza". Desde a publicação dessa afirmação, houve vários protestos. Alguns protestam pelo uso dessa frase "contra a natureza". Outros, pensam que o Papa não tem o direito de ofender os homossexuais desta forma. Talvez não saibam o que São Paulo escreveu:

Romanos 1:26 -Portanto, Deus os entregou a paixões vergonhosas. Com efeito, as mulheres mudaram as relações naturais pelas que vão contra anatureza. 1:27 - Do mesmo modo os homens deixaram as relações naturais com a mulher e se incendiaram em paixões luxuriosas uns com os outros. Homens com homens cometeram atos indecentes, e em si mesmos receberam o castigo que sua perversão merecia.

Mas já que os esquerdistas estão falando tanto em gays atuando no exército, vamos falar de Bradley Manning.

As duas maiores notícias desta semana são a continuação da publicação de documentos secretos do governo pela WikiLeaks, que provocou um prejuízo incalculável aos interesses de segurança nacional dos Estados Unidos, e a determinação fanática dos membros do esquerdista Partido Democrático de derrubar a política "não pergunte, não revele" (que, na essência, significa que o Exército não deve perguntar se um soldado é gay e o soldado não deve revelar esse fato, sob pena de perder a farda) e permitir que gays atuem nas forças armadas.

Para von Mises, "a ordem social capitalista, portanto, é uma democracia econômica no sentido mais estrito da palavra", pois, "sempre que há um conflito entre as visões dos consumidores e as dos empreendedores, as pressões de mercado assegurarão que as visões dos consumidores acabem se impondo".

A crítica marxista gosta de censurar a ordem social capitalista, dizendo que seus métodos de produção são anárquicos, pois são feitos sem uma burocracia centralizada comandando o planejamento. Supostamente, de acordo com os marxistas, cada empreendedor produz cegamente, guiado apenas por seu desejo por mais lucros, sem se preocupar se sua ação irá satisfazer uma necessidade. Assim, para os marxistas, não é nada surpreendente que severos distúrbios apareçam recorrentemente na forma de crises econômicas periódicas. Eles afirmam que seria fútil utilizar o capitalismo para lutar contra toda essa inevitabilidade. Apenas o socialismo, dizem eles, irá fornecer a solução, ao substituir a economia anarquista voltada para o lucro por um sistema econômico voltado para a satisfação das necessidades.

Sem lhes impor nenhuma condição sobre "direitos" dos homossexuais.

Lula anunciou que decidiu oficialmente reconhecer um Estado "palestino". Esse reconhecimento ocorreu em 3 de novembro de 2010.

O megalomaníaco gosta de estar no centro das atenções. E se o mundo todo está olhando para o Oriente Médio, por causa das aflições de Israel, então Lula quer um pedacinho do holofote. Ele está determinado a passar seus últimos dias na presidência chamando a atenção de todo mundo, nem que para isso ele precise plantar bananeira na ONU.

Por trás da montagem da UNASUL, da aparente solidariedade e irmandade, os conjurados de sempre tramam a legitimação das FARC, para que o crescente desprestígio do grupo terrorista não faça rachadura nos planos da esquerda latino-americana, traçados pelo Foro de São Paulo, dirigido por Lula e Castro.

Ingenuidade? Cinismo? Hipocrisia mútua? Engano sistemático aos eleitores de ambos os lados? Talvez isto e muito mais se teça por baixo da mesa. Há de tudo, menos sinceridade nem desejo dos cúmplices das FARC (Lula, Chávez, Correa, Evo, etc.) para que por fim chegue a paz na Colômbia.

Para Bohm-Bawerk, a teoria do valor-trabalho de Ricardo (e, por extensão, a mais-valia de Marx), para além de falaciosa, apresenta uma noção de valor absolutamente inútil, porque não leva em conta o valor de uso, ou melhor, suas valorações subjetivas.

O que é a mais-valia marxista, fundamentalmente baseada na teoria do valor-trabalho de Ricardo? O próprio Marx, através de caminhos tortuosos, constrói um arrazoado explicativo no Capítulo XII do volume I de "O Capital" (Abril Cultural, SP, 1963):

"O trabalhador, durante parte do processo de trabalho, apenas produz o valor de sua força de trabalho, isto é, o valor dos meios de subsistência de que necessita. Produzindo num contexto que se baseia na divisão social do trabalho, ele não produz os seus meios de subsistência diretamente, mas sob a forma de mercadoria particular, fio, por exemplo, um valor igual ao valor dos seus meios de subsistência ou ao dinheiro com o qual os compra".

"Qual a solução, então?", perguntou-me um amigo com quem falava sobre esse tema. E eu: quem pensa, meu caro, que todos os problemas sociais tem solução não conhece a humanidade.

Os recentes episódios do Rio de Janeiro trouxeram à tona um debate recorrente - a liberação ou não do comércio de drogas ilícitas. Os argumentos pela liberação, ou pela descriminação, obedecem à lógica que descrevo a seguir. Se o consumo e o comércio forem liberados, a maconha, a cocaína, a heroína e os produtos afins serão disponibilizados aos seus infelizes consumidores, inviabilizando a atividade do traficante, cujos lucros fabulosos alimentam o crime organizado e a corrupção. Tal providência, dizem, determinaria um efeito em cascata benéfico para o conjunto da segurança pública. Alegam mais, os defensores dessa tese.

A economia mundial cresce quando os Estados Unidos crescem - mesmo quando eles desaceleram, mas não muito. A crise de Wall Street de 2007-2009 destruiu bancos, poupanças e empregos, mas em nenhum momento abalou os fundamentos do mercado mundial.

Afirmar que em 2011 os países "emergentes" vão emergir é uma profecia sem risco. Partindo de muito baixo, dispondo de reservas de mão de obra barata, tendo acesso a tecnologias testadas no Ocidente e no mercado internacional, o Brasil, a Índia ou a China perseguiram a sua ascensão. Isso é motivo de alegria, porque multidões inteiras, condenadas à miséria até recentemente, de agora em diante esperam levar uma vida mais digna.

Uribe-Entrevista-3 Uribe não tem tempo para perder. Dá aulas na universidade de Georgetown. Investiga para a ONU o caso do assalto israelense à flotilha turca. Escreve suas memórias. Recebe prêmios como o Águia das Américas da Câmara do Comércio dos Estados Unidos. Faz conferências na Guatemala, Brasil, Hungria e Madri. Esteve na inauguração da biblioteca do presidente George W. Bush no Texas. Sonha em fundar uma universidade na Colômbia. Corrige teses de graduação de estudantes colombianos. Faz fila como qualquer cristão em todos os aeroportos do mundo (tira os sapatos, o cinturão e passa pela segurança). Sobe no metrô de Washington. Chama o mordomo de "El Ubérrimo" por telefone todos os dias para ver como vão as coisas. E ainda lhe sobra tempo para fazer gols no Santiago Bernabéu.

Os ativistas do movimento homossexual estão certos de que conseguirão derrubar na Câmara Federal todas as emendas dos senadores.

Conforme depoimento de muitos parlamentares evangélicos e acontecimentos nos últimos dias no Senado Federal, venho a público com uma informação emergencial. Ativistas do movimento homossexual articularam com senadores que apoiam sua agenda um avanço, no Senado Federal entre os dias 8 e 9 de dezembro de 2010, do famoso PLC 122/06, que torna crime inafiançável a crítica ao comportamento homossexual, ou seja, imporá sobre o Brasil uma lei que tratará como criminosa toda pessoa que expressar uma opinião contrária ao homossexualismo.

"E os cubanos não protestam?", perguntam-me, frequentemente, quando conto estas coisas. Respondo: protestar faz mal para a saúde pessoal e familiar.

Poucas palavras definem tão bem a situação do povo perante o regime dos irmãos Castro quanto "escravidão". É uma escravidão um pouco diferente da que conhecemos nos livros de história, mas as restrições de liberdades e de direitos fundamentais, as relações de trabalho e as condições de vida não permitem outra descrição para a vida dos cubanos. O cidadão comum, o assim chamado "ciudadano de segunda", escravo do patrão estatal, não pode deixar o país, não decide em qual cidade ou região morar, não pode transferir um veículo se tiver sido adquirido depois de 1960, não pode trabalhar onde quiser nem para quem bem entender. E por aí vai. É uma escravidão sem lei do ventre livre. Filho de cubana já nasce escravo.


Esta não é a primeira vez que Peña Esclusa antecipa publicamente as estratégias do governo venezuelano.

Bogotá, 3 de dezembro - O Presidente de UnoAmérica, Alejandro Peña Esclusa, advertiu há quase dois anos que o Irã instalaria mísseis na Venezuela, como acaba de confirmar o prestigioso diário alemão Die Welt.

Em um artigo intitulado "Chávez, Ahmadinejad e a nova crise dos mísseis" [1], publicado em 28 de fevereiro de 2009, Peña Esclusa prognosticou que Chávez tentaria se perpetuar no poder detonando uma crise missilística, idêntica à que propiciou Fidel Castro em 1962.


Somente um governo sem qualquer respeito por segredos poderia permitir uma lambança dessas, para começo de conversa. E Obama não dá sinais de ter alguma ideia do que há de errado em seu próprio governo.


O deputado federal Peter King (que representa Nova Iorque pelo Partido Republicano) chama o assim chamado escândalo da Wikileaks "pior do que um ataque militar".

Se for verdade, ele nos deu uma ideia de como o governo de Barack Obama poderia reagir no caso de um ataque militar de verdade.

O ministro da Justiça Eric Holder ordenou uma investigação criminal.

O verdadeiro nome por trás da fachada é agitador. Esta é a verdadeira profissão de Obama: organizador (agitador) social. Seus títulos universitários pouco importam, já que foram obtidos apenas para esconder a profissão real e, segundo alguns, de forma bastante suspeita.

navy-jackBenjamin Franklin era contra a águia como símbolo americano, animal que dizia ter um 'caráter discutível'. Preferia a cascavel. Conta-se que antes da Independência, quando os ingleses mandavam para os EUA bandidos desterrados ele teria sugerido mandar em troca um navio cheio de cascavéis, animal não encontrado na Inglaterra, pois é característico de climas desertos. Como esclareci no final do artigo anterior os Republicanos estão usando a Gladsten Flag como simbolo de seu renascimento. Abaixo a primeira bandeira da Marinha Americana (Navy Jack), recentemente autorizada a ser usada nos navios da Armada enquanto durar a guerra ao terror. Utilizo-a aqui como símbolo do Tea Party Express, movimento conservador surgido nos dois primeiros anos da revolução de Obama.