Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Os atos administrativos que aqui vou denominar de "atos administrativos engajados", são aqueles que contém dispositivos que exorbitam das leis e da Constituição, para atender a um propósito político, ideológico ou mesmo para a mera corrupção.

Como tem sido denunciado pelo filósofo Olavo de Carvalho e por mim mesmo, dentre outros ilustres articulistas, como Nivaldo Cordeiro e Heitor de Paola, uma das frentes de batalha para a revolução que nos levará a um regime comunista ou pelo menos a uma sociedade extremamente interventiva e inacessível (falo aqui do governo mundial) é a da "legislação administrativa".

Graça Salgueiro comenta as omissões e trapalhadas da imprensa brasileira ao noticiar sobre a captura de "Tatareto", que não é, de forma alguma o "segundo homem das FARC", como anunciaram.

Ontem fui surpreendida com incontáveis mensagens que traziam uma nota do jornal O Dia, dando conta de que a Polícia Federal (PF) havia prendido o "segundo homem das FARC" em Manaus, Amazonas. De imediato senti repugnância e assombro ao ler o nome do detido, não pela notícia da prisão de um guerrilheiro das FARC - ato em si louvável e necessário - mas pelo tamanho da ignorância da imprensa brasileira e pela inverdade dita.

É um terrível absurdo pensar que haja possibilidade de ser sucessora do trono brasílico uma postulante também apedeuta, no que diz respeito à conjuntura brasileira, como continuação da opacidade intelectual que dominou estes oitos terríveis anos.

"Em "Vidas Secas" tá retratado o problema da miséria, da pobreza,
da saída das pessoas do Nordeste para o Brasil." (*)
(Dilma Rousseff, Doutora em Guerrilha; Analfabeta em Geografia).

Não poderia iniciar este artigo sem uma epígrafe retirada do 'pensamento' sociológico de uma emérita guerrilheira, com cursos de insídia nas universidades cheguevarianas de Cuba e que deseja implantar no Brasil a sórdida ideologia dos velhacos Castro. Tanto conhecimento de balística, de explosivos e de congêneres e, no entanto, ignorante no que diz respeito às divisões territoriais do Brasil. Nordestinos, para esta ameaça que paira sobre as nossas cabeças, são imigrantes, logo, estrangeiros. (E nós é que somos discriminadores!)

Apesar de todos os artigos do jornal esquerdista New York Times elogiando tudo o que Obama fez, nada disso acabou com o terrorismo islâmico. Então agora, deduzo eu, nossa única estratégia é esperar que as bombas dos terroristas continuem falhando.

Foi necessário que Faisal Shahzad tentasse armar um carro-bomba em Times Square para fazer com que o presidente Obama, o procurador geral de Justiça Eric Holder e a ministra de Segurança Nacional Janet Napolitano finalmente usassem a palavra "terrorismo". (E não para se referir aos ativistas do "tea-party" [movimento patriótico mobilizado contra as políticas socialistas de Obama].)

É muito fácil criticar e vilipendiar as instituições armadas, porém é muito difícil desenvolver o trabalho que eles fazem.

O mísero aumento de 2% decretado pelo Governo Nacional, nos já injustos e exíguos salários de militares e policiais, gerou uma catarata de críticas e exteriorizações de sentimentos reprimidos por parte da reserva ativa, em clara identificação com os que no serviço ativo expõem até suas vidas para que os cômodos dirigentes políticos desfrutem das delícias no poder.

Quando Mockus pede a todos para "cumprir" a lei, refere-se à sua lei, à nova lei que pretende impor mediante seu "cenário constituinte".

É necessário ler o professor Antanas Mockus nas entrelinhas, pois seu sistema comunicacional é único: uma revisão depois de uma afirmação. Assim, ele diz tudo porém não é claro. O candidato verde não pode se comunicar de outra maneira. Talvez porque suas respostas sejam, com freqüência, arrepiantes.

As pessoas que mencionei, meu jovem (e existem inúmeras assim!) superam Che Guevara em tudo e por tudo. Exercitaram virtudes supremas sem qualquer ódio.

Este artigo reproduz carta que enviei a um jovem. Por e-mail, ele manifestara dissabor com o artigo "O vampiro argentino". Bem educado, em texto correto e movido por evidente boa intenção, ele expressou sua contrariedade ante a referência que fiz ao fato de "jovens que não sabem apontar com o nariz para que lado fica a Bolívia e que não conseguiriam escrever meia página sobre os episódios de Cuba andarem pelas ruas ostentando camisetas com a estampa do Che". O meu leitor sabia as duas coisas e se magoou. Nas correspondências que trocamos, pedi a ele que em vez de apontar para Bolívia, me indicasse suas razões para reverenciar a memória do argentino. Respondeu-me ele que seu herói "renunciou às comodidades de que desfrutava como médico, buscou viver e alcançar seus ideais, lutou e deu a própria vida pelas suas convicções". E acrescentou que se havia algo que ele prezava e respeitava era "a coragem e a iniciativa de uma pessoa".

Se você ainda não reparou ou prefere não chegar à conclusão de que a agenda verde é a nova roupa do velho movimento socialista internacional, escute Evo Morales, que resumiu: "Ou morre o capitalismo ou morre o planeta".

No mundo com acesso às informações ignoradas ou escondidas pela grande imprensa, o embuste pseudocientífico do aquecimento global já se desmanchou como um castelinho de areia banhado pelo mar. Na outra dimensão, burocratas e jornalistas pautados pelo IPCC continuam a martelar o engodo, como se nada tivesse acontecido, mostrando que a famosa máxima do ministro da propaganda nazista nunca deixará de ter eficácia.

E em nome da ideologia do "anti-preconceito" e da "não-discriminação" nosso modo de pensar e de agir é cada vez mais policiado?

A maior parte das sociedades modernas cultua como valor básico a liberdade de expressão, pela qual todo e qualquer indivíduo pode manifestar publicamente e sem censuras suas opiniões, desde que estas não incitem ao crime.

Emmanuel Goldstein denuncia Olavo de Carvalho, "o reaça empedernido" que anda fazendo uso de uma de suas poderosas armas secretas para abalar as estruturas do estado totali... ops! ... "progressista" mundial.

Camaradas!

Acabo de receber MAIS UMA gravíssima denúncia contra Olavo de Carvalho, Arquiinimigo do Partido, temível agitador ultra-reacionário e propagandista da "liberdade de consciência" (leia-se: alienação burguesa). Agradecemos desde já ao camarada Leandropov Telenovich, que nos enviou esta denuncia anônima, cumprindo exemplarmente seu dever para com o regime totalitário progressista mundial.

Citando a crise na Grécia, que logo se estenderá a outros países da União Européia, Nivaldo Cordeiro denuncia as distorções de Clóvis Rossi sobre a questão, e comenta aspectos nefastos da social-democracia.

As mortes registradas nos distúrbios de ontem, na Grécia, é só o prelúdio do que nos espera nos próximos meses, talvez nos próximos anos. E não apenas naquele infeliz país, mas em todo Ocidente, onde a social-democracia prevaleceu. Estamos vendo seu projeto político desmoronar. Quem, minimamente letrado em ciência econômica, observou os acontecimentos sabia que a construção de uma sociedade de rentistas sem capital, munidos apenas de "direitos"e de "conquistas", protegidos pela lei estatal injusta, iria se deparar com esse beco sem saída.

Quem tiver o controle da Polícia Federal e desta outra excrescência da constituição 'cidadã', o ministério público (recuso-me a usar maiúsculas para esta pústula incrustada no Brasil como Lei Maior!), tem a faca e o queijo para controlar todas as eleições no país!

UMA CORREÇÃO

A Rede RBS, cujo Jornal de Santa Catarina noticiou que Serra teria dito que todo fumante é ateu negou anteontem que a notícia fosse verdadeira. OK, Serra pode não ter não dito isto, mas a campanha anti-fumo que ele patrocinou em SP durante seu Governo - aliás, Cabral aqui no Rio também - tem nítido fundo místico e supersticioso. Entenda-se: não sendo materialista nada tenho contra crenças místicas. Porém mistificar um tubo que solta fumaça deveria ser considerado crime, além de heresia. Principalmente vindo de um Governador cujo partido com um guru maximus, FHC, defendendo publicamente a descriminação das drogas pesadas, seguindo fielmente seus chefetes globais George Soros, Peter Lewis e outros. Como Serra jamais discordou dele, é lícito presumir que tenha a mesma opinião.

A aparição pública do filósofo Olavo de Carvalho tem estimulado corajosos e pequeninos passarinhos a realizarem um formidável trabalho que, no total, tem alcançado vários efeitos positivos, em que pese toda a hegemonia com o poder e o dinheiro das esquerdas.

Quem recorda daquela fábula do passarinho que vai apagar o incêndio com a água no bico? Pra quem não a conhece, é assim: um elefante, com aquela enorme tromba, foge desesperado do incêndio da floresta, e em sua debandada, observa um valente passarinho, infatigável, colher água no lago com o bico e despejá-la sobre as chamas. Sem desperdiçar a chance de ser irônico, o elefante dispara: "- êta passarinho burro, desde quando você pensa que vai dar conta deste incêndio? Não está vendo que o fogo está se alastrando descontroladamente?" A ele, responde a pequenina ave: "-pois saiba, Sr elefante, que eu estou fazendo a minha parte, enquanto você, com a sua tromba, que poderia apagar muito mais, dá de costas e reclama de quem faz..." (...)

Se você não entra no jogo, é excluído não só da corriola palaciana, como antigamente, mas do seu grupo de amigos, do emprego, da família, do universo. Por isso é que o mundo moderno, se ainda não é o império geral da mentira anunciado no livro do Apocalipse, pelo menos dá o melhor de si para aproximar-se desse ideal sublime.

Enojado com o artificialismo dos costumes na côrte de Henrique VIII, Thomas More observou que a mentira política, quanto mais patente e boboca, mais solicitamente é aceita como verdade por aqueles a quem, no fundo, ela não engana de maneira alguma.

A estratégia em relação a Israel - discutida com países europeus - é isolar este país com demandas inaceitáveis.

Desde que Obama foi ungido oficialmente como Candidato do Partido Democrata que muitos, inclusive eu, vimos advertindo para uma mudança da política americana em relação a Israel em médio prazo. De todas as mudanças (changes) que Obama e sua equipe pretendem fazer (and yes, they can!) a diplomática é uma das principais. Esta mudança diplomática pode ser resumida na seguinte frase: dar as costas aos amigos tradicionais e estender as mãos aos inimigos. A segunda parte é baseada na idéia psicótica que os inimigos existem por culpa da suposta arrogância americana e dos demais países ocidentais e que, abandonando-a, as inimizades acabarão.