lhm 


Nas livrarias: 

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.


SPACÇO DO SPACCA

© Spacca para o MSM

 



Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Pancadaria-petista-1-480x291
Não podemos esperar até que esses criminosos tenham todas as armas consigo, e comecem a fazer exatamente como na Venezuela e em tantos outros regimes marxistas.


No dia 27 de fevereiro de 2015, debati com a vereadora Fernanda Melchionna (PSOL, Porto Alegre), no programa Ciranda da Cidade, apresentado pelo Diego Casagrande, na Rádio Bandeirantes AM 640. Nessa oportunidade, expliquei como funciona o papel de linha auxiliar que o PSOL desempenha em relação ao PT, e o fiz apoiado em anotações minhas. A vereadora, acostumada a repetir os mesmos clichês esquerdistas de sempre, a papagaiar os mesmos discursos que todo esquerdista profere em mesas de bar, em jantares de família e em assembléias estudantis, estranhou que alguém se preparasse para um debate e desdenhou de minha fala. Pois me comprometi com disponibilizar, na íntegra, o texto de apoio à minha fala.

Ei-lo; com acréscimos e edições de imagem importantes.

A Lei dos Partidos Políticos (Lei Nº 9.096 de 29 de setembro de 1995), em seu artigo 28, estabelece quatro motivos para o cancelamento do registro e do estatuto de uma organização partidária. Um deles é estar subordinado a entidade ou governo estrangeiros (Foro de São Paulo, por exemplo) e o outro é "manter organização paramilitar".


Os discursos habituais do ex-presidente Lula constituem expressões de boquirroto. Coisas de falastrão. Manifestações de incontinência verbal. Estou falando difícil para não escrever o que realmente sinto vontade... Então, vai lá, no "popular": ele diz muita besteira. O fato é que depois de ouvi-lo durante tantos anos, habituamo-nos a seus atropelos de forma e conteúdo. Não se poderia esperar nada mais aprimorado de alguém com o perfil de nosso ex-presidente. Não há como Lula ser melhor do que Lula, mesmo porque nunca lhe ocorreu fazer algo melhor de si mesmo. Portanto, ele pode passar a vida repetindo que é filho de uma mulher analfabeta, incapaz de fazer um "O" com um copo, pois sempre encontrará quem ria de tal grosseria, e mesmo quem reconhece o desrespeito contido na frase acaba aceitando-a como "coisas do Lula".

Israel é o único país livre do Oriente Médio, mas seu governo, seu povo e suas instituições econômicas e acadêmicas estão sob ataque ideológico daqueles que desejam destruí-lo.

(A primeira parte do artigo está aqui.)

Por três vezes, a partir de 2000, primeiros-ministros israelenses tentaram implementar a teoria da “terra por paz” preconizada pela resolução 242 da ONU. Em todas, ofereceram aos líderes palestinos um Estado independente em termos muito mais generosos do que a Jordânia e o Egito haviam feito quando eram os controladores de Gaza e da Cisjordânia.[1]

Em 2000, Ehud Barak, primeiro-ministro israelense, aceitou o plano proposto pelo presidente norte-americano, Bill Clinton, que pretendia estabelecer um Estado tanto na Cisjordânia e em Gaza quanto no leste de Jerusalém; mas Yasser Arafat, presidente da Autoridade Palestina, abandonou as negociações e deu início à Segunda Intifada.[2]

São massacres reais com vítimas de carne e osso. Mas sobre eles Ariovaldo Ramos não diz absolutamente nada. É preciso um “massacre” sem vitimas para que o “pastor” se manifeste?


O pastor Ariovaldo Ramos é o paladino mais ilustre da Teologia da Missão Integral que, em resumo, representa a aplicação da terminologia marxista no campo teológico da fé cristã protestante. É claro, ele é também árduo defensor das causas clássicas da esquerda.

De fato, Ariovaldo pode militar em favor do que e de quem bem entender. O problema é que ele distorce a realidade em favor das suas causas, o que representa uma gravíssima falha moral, especialmente porque ele se apresenta por aí como um “pastor”.

Enquanto o presidente Juan Manuel Santos chama Correa e o regime ditatorial da Venezuela de seus “melhores amigos”, o governo equatoriano continua apoiando as FARC, como se evidenciou na apreensão de alguns mísseis terra-ar que iam para as frente das FARC no oeste e provinham do Equador.


Numa extensa entrevista com o jornalista Guillermo Parada da emissora radial UN Radio, da Universidade Nacional, transmitida pelo dial FM 98.5 com retransmissão para sua cadeia de emissoras no país e no exterior, analisei os prós e contras da presença de oficiais das Forças Militares e da Polícia na mesa de conversações de Havana. Dada a complexidade do assunto, pontuei:

 

1. Há muita especulação e espera-se muito pouco desta atividade.

lulamst

Assim como ocorre em Cuba com as “Brigadas de Resposta Rápida” e na Venezuela com suas “Guardas Bolivarianas”, o Brasil, com o  “exército de Stédile”, vai delineando, cada vez com mais clareza, o que quer e está fazendo o Foro de São Paulo.


No dia 24 de fevereiro o PT, junto com a CUT e a FUP (Federação Única dos Petroleiros), organizou uma manifestação em defesa da Petrobras na Associação Brasileira de Imprensa, na qual várias “autoridades” fizeram discursos tão falsos quanto inflamados. Dentre eles falaram o líder do MST, João Pedro Stédile e o ex-presidente Lula. Nenhum deles admitia a roubalheira desenfreada na estatal petroleira e muito menos que os indiciados cometeram crimes mas apenas “erros”.

asO grande problema é que no horizonte de consciência brasileiro seja fato incontestável que é impossível que alguém seja tão bom como o personagem do filme. É um vício – e um prazer nosso , deleitar-se com a desgraça e miséria alheias, pois assim temos desculpa para não mudar de vida.


O filme “Sniper Americano” conta a história de Chris Kyle, o norte-americano que se tornou o atirador de elite mais letal da história das forças armadas dos Estados Unidos. Nascido no Texas,aprendeu a caçar com o pai e aos 24 anos decidiu entrar para o“Seals”, corpo de elite da Marinha dos Estados Unidos. Durante quatro missões no Iraque e outras tantas ao redor do planeta, Chris foi responsável por oficialmente confirmadas 160 mortes, sendo que o número real pode ser superior (260 ou mais).

Como os maiores inimigos do Estado judeu são eles próprios ditaduras islâmicas, precisam convencer os outros países de que Israel é tão odioso e perigoso quanto eles.


Ao longo da história, muitos países oprimiram o próprio povo, privando-o dos direitos humanos básicos. A França assassinou dezenas de milhares de civis sob o regime do Terror que se seguiu à revolução de 1789, e o mesmo fez a Alemanha do kaiser, na marcha pela Bélgica, em 1914. Depois a Alemanha nazista cometeu o Holocausto, o Camboja de Pol Pot enveredou pelo genocídio e a União Soviética stalinista matou milhões de pessoas via fome e massacres, além de tornar-se um modelo de opressão ao enviar milhares de hordas sem nome para os campos de trabalho forçado no Arquipélago Gulag descrito por Solzhenitsyn.


A legalidade brasileira, em parte, tornou-se uma sarcástica palhaçada avalizada por falsos juristas. Um circo, onde os mesmos palhaços que pisoteiam as leis legítimas fiscalizam o cumprimento das leis ilegítimas.


Comunistas escrevem suas perversas biografias por cima das páginas dos códigos legais. Para os militantes de esquerda radical em início de carreira, uma temporada na cadeia não é uma prisão, e sim uma vitrine. Enquanto o ordenamento jurídico da nação reflete os preceitos morais básicos, os costumes, os direitos por excelência, enfim, as bases da nacionalidade, os revolucionários descumprem as normas legais, cometem crimes, e acusam de autoritarismo os agentes estatais que, fazendo cumprir as leis do Estado Democrático de Direito, defendem a continuidade de sua existência. Para os militantes, violar todas as leis possíveis é uma virtude e uma obrigação, até que o Estado revolucionário seja uma realidade, quando ferrenhamente passam a agir como pretensos “legalistas”.


Este é, em quinhentos e tantos anos de existência do Brasil, o primeiro movimento autenticamente popular, espontâneo, nascido de baixo, sem comandantes chiques, sem estrategistas profissionais, sem interferência nem apoio das elites falantes, do
beautiful people, do grande capital ou da grande mídia.

Reunindo aproximadamente um milhão de pessoas e repetindo-se em várias cidades de março a junho de 1964, a “Marcha da Família com Deus pela Liberdade” foi o maior protesto de rua observado até então na nossa História – maior, provavelmente, do que muitos movimentos similares, com signo ideológico invertido, que viriam nas décadas de 80 e 90.

No entanto, é certo que, na origem, nada teve de popular ou espontâneo. Foi longamente planejada por um grupo de devotados conspiradores, com vasto apoio da grande mídia -- a começar pelos Diários Associados de Assis Chateaubriand (mais de oitenta jornais, estações de rádio e canais de TV em todo o país) --, de empresas bilionárias como o grupo Light, de vários governadores, deputados e senadores e de importantes organizações da sociedade civil, como a Liga das Senhoras Católicas, a ABI, a OAB, os sindicatos patronais em peso e a maioria do clero católico. Não se pode dizer que foi propriamente um movimento popular, mas uma mobilização popular orquestrada pela elite, uma obra de engenharia política.

“Como se viu nos capítulos anteriores sobre a natureza e metodologia necessárias à guerra moderna, é praticamente impensável vencê-la sem a minuciosa e oportuna preparação do país e das forças armadas.”
V. D. Sokolovskii, Soviet Military Strategy, p. 281


Um artigo recente no The European diz que as sanções que a EU impôs à Rússia foram mal concebidas. “A política de sanções não está funcionando de maneira alguma”, diz o artigo. As sanções falharam porque Putin “controla as percepções” da população russa. Enquanto isso, sentimentos anti-guerra estão ganhando espaço na Alemanha e em toda Europa. A propaganda russa está gradualmente virando o jogo. Isso revela com clareza que o Ocidente não tem estratégia nenhuma, enquanto a Rússia é totalmente estratégica.


Mais uma vez a Rádio Vox fura toda a grande imprensa, dando amplo espaço ao contraponto à ladainha governista: Ivar Schmidt, líder do Comando Nacional do Transporte, fala dos reais motivos da paralisação dos caminhoneiros e das arbitrariedades do governo do PT contra a categoria. E destaca todo o seu repúdio à ideologia socialista que faz a cabeça de sindicalistas pelegos, da mídia prostituída e da súcia petista.


Clique no banner abaixo e ouça a entrevista.


www.radiovox.org

CNBB e OAB procuraram tirar a corrupção dos ombros dos corruptos e jogá-la em quem não pode ser algemado: o modelo político adotado no país.


As duas entidades lançaram na manhã desta quarta-feira um Manifesto em Defesa da Democracia. Por que? Porque segundo ambas, a democracia está em perigo devido às "graves dificuldades político-sociais" enfrentadas pelo país. A nota em que divulgam o evento reafirma a importância da ordem constitucional e da normalidade democrática. A saída para a crise passa pelo que denominam uma urgente "Reforma Política Democrática para corrigir tais distorções que ameaçam a democracia e cerceiam a participação efetiva do povo nas decisões importantes para o futuro do país". Sempre que esse pessoal fala em povo, reitero, estão falando apenas de si mesmos.

nismanInforme exclusivo da DEBKAfile*.


Uma investigação especial de inteligência realizada pelas fontes iranianas e anti-terroristas de DEBKAfile, descobriu que o promotor argentino-judeu Alberto Natalio Nisman, de 51 anos, foi assassinado em 18 de janeiro por um agente iraniano que havia ganhado sua confiança fazendo-se passar por um desertor sob o suposto nome de “Abbas Haqiqat-Ju”. O assassino agiu horas antes que Nisman apresentasse ante o parlamento argentino evidências de que a presidente Cristina Kirchner e o chanceler Héctor Timerman haviam encoberto a responsabilidade do Irã no pior ataque terrorista do país, o bombardeio do centro da comunidade judaica de Buenos Aires, no qual 85 pessoas perderam a vida em 1994, dois anos depois que 29 pessoas morressem por uma explosão na Embaixada de Israel.

As provas de Nisman, se tivessem sido apresentadas, teriam demonstrado em última instância a culpabilidade do Irã nos ataques terroristas. De acordo com nossa investigação, dois ministros da Inteligência iraniana, o titular Mahmoud Alavi e seu predecessor Hojjat-ol-Eslam Heydar Moslehi, levavam nove anos espremendo seus cérebros para encontrar a maneira de silenciar o promotor judeu, desde que ele começou a investigação dos dois ataques. Trabalharam mano a mano com as agências governamentais e de inteligência argentinas do mais alto nível.