spec
 


Nas livrarias: 

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.


SPACÇO DO SPACCA

© Spacca para o MSM

 



Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Marxismo e cristianismo são mutuamente excludentes.     


De uma vez por todas – a Bíblia não apóia o socialismo.

Eu era adolescente no hoje chamado ensino médio quando ouvi pela primeira vez meu professor comunista citando a Bíblia para nos doutrinar. Era o famoso texto de Atos 2.44, 45:

Todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam suas propriedades e fazendas e repartiam com todos, segundo cada um tinha necessidade.


O movimento nacional de protesto NÃO DEPENDE nem do Vem Pra Rua, nem do Revoltados Online, nem do Brasil Livre nem de liderança nenhuma. É a ira espontânea do povão que faz tudo, como aconteceu no "Passe Livre". Por que esses líderes não param de querer dirigir uma massa que não os segue, que vai para onde bem entende e que não está nem ligando para diferencinhas entre grupos, as quais só a mídia petista tem interesse em realçar?

*

Desde o início, o protesto não teve nenhuma unidade ideológica, e não precisa dela. Só a mídia é que está INTERESSADÍSSIMA na catalogação ideológica de diferencinhas que, para a massa, não têm IMPORTÂNCIA NENHUMA.

*

Vocês não notaram que PRIMEIRO a massa foi às ruas e DEPOIS apareceram "lideranças"? Realçar a importância dessas lideranças é BOICOTAR a massa, é LUTAR CONTRA O POVO BRASILEIRO.


A multidão nas ruas sabe que o PT é o mal na política, tanto por suas más intenções revolucionárias quanto pela incompetência na gestão governamental.


Este domingo, 12 de abril, ficou marcado pelas grandes manifestações de massa, em todo o país. O mar de gente na Avenida Paulista foi o emblema dos atos. O que eu vi – e preciso ser honesto comigo mesmo – foi uma manifestação maior do que a do dia 15 de março. O espalhamento dos carros de som ajudou no preenchimento do espaço público. A estimativa da Polícia Militar de que havia 275 mil (um terço da anterior) não é realista. Os organizadores estimaram o número em 800 mil presentes, número bem próximo do real.

Pela segunda vez em menos de um mês centenas de milhares de brasileiros saíram às ruas para pedir o impeachment de Dilma Rousseff.


Na democracia, é comum que partidos políticos tenham seus próprios jornais. Seu teor sói ser tendencioso; normal. Mas o jornalzinho do PT em Porto Alegre (Zero Hora) anda passando dos limites em termos de mendacidade.

Pode-se dar uma notícia de várias formas.

As manifestações foram "menores"? Em números absolutos, talvez.

As manifestações foram maiores? Em quantidade de locais envolvidos, com certeza.

spacca12deabril

Amanhã não é dia de pedir nada. Amanhã é dia de EXIGIR!
Não somos mais um simples movimento, somos um LEVANTE POPULAR contra um despotismo supranacional sediado em Havana e subvencionado por russos e chineses.

*

O Foro de SP é um projeto imperial no qual o Brasil é apenas uma das províncias. Pois mostremos às Américas que nós brasileiros não vamos nos curvar.
Amanhã é dia de levante popular!


eliteA queda abrupta na audiência da TV Globo ilustra algo que venho dizendo aqui há semanas: a revolta popular não é só contra meia dúzia de políticos ladrões, nem só contra a sra. Dilma Rousseff, o PT ou mesmo o Foro de São Paulo: é contra toda a elite que os protegeu e os legitimou no poder à força de mentiras e desconversas.

Sempre de joelhos ante as modas estrangeiras mais idiotas, e manipulados por intelectuais ativistas que, a despeito da sua mediocridade, sempre deslumbraram as suas mentes ainda mais medíocres, os donos dos nossos meios de comunicação puseram todos os seus formidáveis recursos a serviço de uma “revolução cultural” cuja simples existência ignoravam e que foi, aliás, concebida precisamente para ser levada a cabo por idiotas úteis que a ignoravam.

A ditadura na Venezuela já demonstrou todos os seus horrores. E, mesmo assim, é abertamente apoiada, em ambiente universitário, por gente do PT.


A quinta-feira, 9 de abril de 2015, foi mais um dia que manchou a Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ.

A universidade abrigou um evento chamado “Ato de apoio a Revolução Bolivariana e contra as ingerências do imperialismo norte-americano”, no qual “estudantes” “universitários” brasileiros colocaram-se em favor da ditadura venezuelana perpetrada por Chávez e mantida por Nicolás Maduro.

Para um país riquíssimo em petróleo, a Venezuela está paupérrima, graças a uma nomenklatura bolivariana histérica e truculenta que drena todos os recursos do país e governa com poderes policiais.

Quando mentimos para o governo, é um crime. Quando o governo nos mente... é constitucional?
Harvey Gilmore

A presidente Dilma, que alguns ainda defendem como “a proba”, fez todo o circuito da improbidade. Partilhou seu governo entre pessoas cuja reputação não deixava dúvida sobre a que vinham. Fez da mentira estratégia a ser cumprida rigorosamente. Nunca tivemos o país sob uma chefia tão dedicada à refinada arte de mentir. Ela continua mentindo, contra todas as evidências, em cadeia nacional. Mentiu sobre o próprio passado, mente sobre o presente e, agora, mente sobre o futuro. No circuito da improbidade não teve o menor constrangimento em causar dano irreparável à Petrobras e ao setor elétrico para desfilar ante as câmaras dos seus publicitários como a presidente que barateou o custo de vida e conteve a inflação. Mente quando atribui a desgraceira em que jogou a economia nacional a uma circunstância externa (a culpa é sempre dos outros), ou seja, a uma suposta crise internacional que só ela e seus diletos parceiros da Argentina, Venezuela e Cuba experimentam. Mentiu sempre, sem o menor constrangimento para assassinar a reputação de seus adversários imputando-lhes a intenção de adotar medidas impopulares que ela mesma está pondo em prática.

O PT esgotou-se de tanto mentir. Não tem mais condições para governar o país.

Se as manifestações do domingo vindouro forem da envergadura com que estão previstas, Dilma Rousseff terá que sair do poder.


O dia de ontem mostrou o tamanho do desastre da desarticulação política da presidente Dilma Rousseff. Sua inabilidade e falta de realismo levou-a a um beco sem saída. Para piorar, está colhendo os frutos dos graves erros de decisão que tomou desde que a campanha eleitoral foi encerrada, refletidos nos índices de preços e da produção. A irritação dos brasileiros com seu governo está expressa nas elevadíssimas taxas de rejeição que ela sofre, as maiores desde que são medidas.


koreaA Coréia do Norte iniciou seu programa nuclear no final dos anos 50 com ajuda soviética, construindo sua primeira instalação de pesquisa em 1965. Durante os anos 70 e 80, os nortecoreanos riram dos ocidentais mentindo sobre se estavam ou não fazendo pesquisas e levantando usinas para ter sua bomba nuclear.

As tensões chegaram ao limite em 1994, durante o governo Bill Clinton. Em junho, Jimmy Carter é enviado à Coréia do Norte para negociar com Kim Il-sung (foto), o genocida que iniciou o regime mais brutal do mundo hoje, pai de Kim Jong-il e avô de Kim Jong-un. Kim Il-sung morreria poucos dias depois.

O “acordo histórico” foi comemorado pela imprensa, como tudo que um presidente democrata faz e exatamente como está fazendo agora com o acordo do governo Barack Obama com os aiatolás iranianos.

Nenhuma corrente ideológica é jamais inteligente o bastante para se mover com agilidade entre as sutilezas da vida política.

A esquerda dominante jamais aceitará o debate franco, pois sabe que vive de mentirinhas tolas e que num confronto honesto sairá sempre perdendo.


Olavo de Carvalho: "Teremos de impor o debate à força"

O filósofo e professor Olavo de Carvalho é hoje o maior expoente do pensamento de direita em âmbito nacional. Nesta entrevista realizada por e-mail, o filósofo, residente dos EUA, diz que o reavivamento da direita é resposta à prepotência da esquerda que desembocou no assalto aos cofres públicos. Mas ele aponta que somente a "inteligência individual" é capaz de contrapor-se à esquerda em uma "guerra cultural". 

Muitos brasileiros foram às ruas no domingo (15/03) impulsionados, em sua maioria, pelo escândalo do Petrolão e pedindo a deposição da presidente Dilma Roussef. O senhor entende que seja a corrupção sistemática, como apontou o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, o mal maior gerado nos governos petistas?

Imagine ser considerado inapto devido a suas doenças ou dores e sofrimentos.

Quem deveria ter o direito de ser a “polícia” da aptidão? Quem seria considerado o juiz da aptidão? Dawkins?


“Ai daqueles que chamam o mal de bem, e o bem de mal, que mudam as trevas em luz e a luz em trevas, que tornam doce o que é amargo e amargo o que é doce” (Isaías 5:20). Virar o certo e o errado de pernas pro ar é um hábito humano que remonta a milhares de anos. Os tempos modernos não são diferentes. O famoso biólogo evolucionista e professor na Universidade de Oxford, Richard Dawkins, recentemente mostrou suas garras numa conversa no Twitter que ganhou a atenção da mídia. A BBC, um serviço público de radiodifusão entre muitos outros no Reino Unido, relatou que uma usuária do Twitter disse a Dawkins: “eu honestamente não sei o que faria se estivesse grávida de uma criança com Síndrome de Down. Dilema ético real”. Dawkins replicou, “Aborte e tente de novo. Seria imoral trazê-lo ao mundo se você tem uma escolha”. E prosseguiu: “Estes são fetos diagnosticados antes de possuírem sensações humanas”. Após ficar sob bombardeio por seus comentários, ele se defendeu dizendo, “Nem por um momento me desculpo por abordar uma questão moral filosófica de maneira lógica. Há um lugar para a emoção e este não é ele” (como citado de Hawkins em 2014).


Acusam-me de ser:

• racista, porque sou branco;

• fascista, porque não voto no PT, no PCdoB nem no PSOL;

• homofóbico, por ser heterossexual;

• traidor da causa operária, por dizer que a CUT é um antro de petistas;

• machista, por ser contra o aborto;

• fundamentalista, por sustentar que estado laico não é o mesmo que estado ateu;

Mudaram de lado? Não! Fazem o mais fácil. Enquanto criticam o PT, escrutinam os milhões de manifestantes segundo suas classes sociais e "raças", identificam-nos como conservadores, como direitistas, como golpistas.


Provavelmente você já observou o mesmo que eu. Ao longo dos anos, identificou a posição política dos formadores de opinião atuantes nos veículos a que acessa. Você reconhece, acima de qualquer dúvida, aqueles que emprestaram sua capacidade de influência para ajudar na construção da hegemonia petista. Você pode não saber o clube de futebol pelo qual cada um torce, mas percebe a que projeto político servem.

amk“Eu não acredito que quem sacrifica um milhão de vidas para atingir objetivos geopolíticos possa estar animado por valores cristãos. Não sejamos ingênuos”.


Em entrevista de imprensa na sede da Rádio Vaticana, segundo informou o site “La Nuova Busssola Quotidiana”, Mons. Sviatoslav Shevchuk, arcebispo-mor do rito greco-católico, disse ter advertido o Papa a respeito de afirmações da Santa Sé que podem ser associadas à propaganda russa.

Mons. Shevchuk esteve em visita ad limina a Roma, juntamente com mais de vinte bispos católicos ucranianos dos ritos latino e bizantino. Os prelados transmitiram a Francisco a dramática situação que vive seu país.

“Para descrever o que acontece na Ucrânia, disse ele no início da entrevista, só se pode usar uma palavra: invasão estrangeira e não conflito civil”.

A expressão “guerra fratricida” havia sido usada pelo Pontífice na audiência do dia 4 de fevereiro com particular infelicidade. Ela suscitou fortes reações nos ambientes católicos ucranianos e verdadeiro entusiasmo entre os seguidores de Vladimir Putin, entre os quais se destacou o Patriarcado de Moscou.