Novo curso de Olavo de Carvalho:

cursoOdeC

Nas livrarias:

novolivroSiga a fanpage do livro 'O Mínimo que Você Precisa Saber Para Não Ser um Idiota'
no Facebook
.

e&s

 


SPACÇO DO SPACCA

peterpan spacca

© Spacca para o MSM


Jornalistas que não se curvam à patifaria totalitária do Foro de São Paulo estão sob risco num país em que o direito à livre opinião está seriamente ameaçado. Alex Pereira e Vitor Vieira falam sobre as ameaças e acusações feitas pelos delinquentes aliados aos bandidos do PT contra aqueles que defendem as liberdades civis e que com independência denunciam um governo que está simplesmente destruindo o Brasil e suas instituições.

* * *


Nos encontros da liderança do PT, canta-se a Internacional Socialista e fala-se abertamente do projeto de dominação política do país. No STF, fala-se apenas de corrupção, "caixa 2", peculato e outros crimes, como se o Mensalão não fosse a tentativa de usar o dinheiro como arma revolucionária, para falsear todo o jogo político nas instâncias mais altas do país e fazer com que o PT, centralizando tudo no Executivo, controlasse o país sem nenhuma oposição.

Infelizmente, a população caiu no truque das atenuações da imprensa chapa-branca, e ainda está dando apoio expressivo a políticos do PT e a seus aliados.

* * *

Católicos não podem votar num partido pró-aborto e pró-gayzista.

Veja muito mais na seção de vídeos do Mídia Sem Máscara.

Avisos

POLÊMICAS INTER-RELIGIOSAS, EM ESPECIAL ENTRE DIFERENTES DENOMINAÇÕES CRISTÃS, SÃO EXPRESSAMENTE PROIBIDAS NESTE SITE. COM TANTOS INIMIGOS RONDANDO, VAMOS FICAR TROCANDO TAPAS EM FAMÍLIA?

trueoutspeak2
atasFSP

clip_image002

THIS IS A BULLSHIT-FREE SPACE
Orkut-32 twittericon Youtube_32x32 facebook_32 Feeds_32x32 Mail-32currency_blue_dollar-32

Na Venezuela, Maduro e os chavistas discutem se devem aplicá-las ou não e na Argentina, Cristina sempre teve suas dúvidas. Porém, são políticas que desde há anos os governos de Ortega na Nicarágua, Santos na Colômbia, Correa no Equador, Humala no Peru, Morales na Bolívia, Tabaré e “Pepe” no Uruguai, e igualmente Lula e Dilma no Brasil, por exemplo, as aplicam.

“Neo” liberais significa mais ou menos inspiradas no Consenso de Washington (CdeW) dos anos 90, uma lista de “recomendações de política”, que na ocasião os burocratas do FMI e do Banco Mundial viram como “viáveis e sustentáveis”, quer dizer: aceitáveis pelos principais atores.

São 10, e se resumem assim: 1. Disciplina fiscal e orçamento em equilíbrio, 2. priorizar o gasto público: em medicina básica, educação primária, infra-estrutura, 3. impostos: baixar taxas para subir a arrecadação, 4. tipos de juros: livres, 5. taxa de câmbio: “competitiva”, 6. substituir barreiras quantitativas às importações por taxas alfandegárias e depois reduzi-las pouco a pouco até 10% ou 20% na média, 7. alentar todo o investimento estrangeiro direto, 8. privatizar empresas estatais, 9. eliminar barreiras legais à entrada e saída nos mercados e 10. reforçar direitos de propriedade. Até aqui diz o CdeW.

Corria o dia 17 de março de 1965 quando a mais de 170 quilômetros de Popayán, proveniente da “república independente de Riochiquito”, Pedro Antonio Marín Marín, cognome “Tirofijo”, junto com 120 quadrilheiros, entre eles quatro mulheres - armados de carabinas San Cristóbal, bombas, granadas e facões - assaltaram um ônibus inter-municipal de Rapido el Cauca, na localidade El Hato. Após culminar sua ação se dirigiram a Inzá e saquearam o humilde município. Um total de 16 pessoas foram assassinadas.

Não obstante, umas horas antes do assalto ao ônibus - que cobria a rota Belalcázar-Popayán - os assaltantes capitaneados por Tirofijo passaram por El Guadualejo e seqüestraram Antonio López, Emilio Fajardo, Carlos Fajardo e Vicente Sánchez. Após meia hora de caminhada chegaram à fazenda El Rodeo e seqüestraram Angélica Chaux e uma menor. Seguiram caminhando até chegar a El Crucero onde arrasaram a loja de Emigdio Andrade e sem duvidar, o tomaram como refém junto com seus filhos Edgar, Gonzalo e Marcos. Os comunistas e seus seqüestrados prosseguiram caminhando e em Las Piedras um morador do lugar, Carlos Narváez, perguntou o que estava acontecendo. Sem mais, foi seqüestrado. A estamparia sangrenta logo ia começar. Ao chegar en El Hato, jurisdição do município caucano [1] de Inzá, o bando do PCC-FARC viu ao longe uma frota. Então, temerosos de que alguns de seus seqüestrados dessem uma voz de alerta, Tirofijo ordenou que assassinassem, com o corte de flanela, Carlos Narváez, Emigdio Andrade e seus três filhos.

Excetuada a hipótese da sabedoria infusa, é preciso algumas décadas de experiência para um sujeito entender que a esperança numa vida após a morte é mais realista, mais racional e mais científica do que a aposta em qualquer utopia social terrena. No fim a conclusão é sempre esta: ou o Paraíso ou o Nada. Como o Nada é impossível, resta aquela tentativa incansável e interminável de aproximar-se dele, a qual se chama, tradicionalmente, inferno.


Isso é a vida humana.


Dia a dia acumulam-se indícios de que ela não cessa com a morte, inclusive esse filme espetacular,Heaven is for Real, em que um menino de quatro anos mostra saber mais sobre o outro mundo do que em geral os guias iluminados dos povos sabem sobre este.

O Hamas não é exatamente a organização terrorista favorita dos egípcios considerando-se os ataques terroristas do Hamas contra soldados egípcios e o seu envolvimento no golpe da Irmandade Muçulmana no Egito.

Isto pode ser visto nesses trechos da programação televisiva no quais os âncoras egípcios acusam os líderes do Hamas de levar uma vida luxuosa, com jantares em restaurantes e uma vida fácil à beira de piscinas com suas quatro esposas enquanto a luta se desenrola.

Eles denunciam também que os esquadrões que lançam foguetes operam dentro de áreas civis e estão atraindo uma nova “Nakba” para o seu povo [N.do.T: nakba: expressão árabe que significa “catástrofe” ou “desastre”].

Com essa iniciativa, eles estão induzindo os fiéis a consolidarem um projeto de poder que foi erguido às custas de um assalto à Igreja Católica.


Quando padres passam a utilizar o altar para promover uma proposta de reforma política, o mínimo que se deve fazer é investigar para onde eles, com a ousada iniciativa, estão conduzindo o seu rebanho. Não, não é pecado. A investigação é um dever irrenunciável principalmente quando a proposta na qual estão engajados - a que é apresentada por uma "Coalizão pela Reforma Política Democrática" [1] - aparece subscrita, não só pela CNBB [2], mas por grupos e organizações como MST, CUT, UNE, CTB, UBM, CONTAG, entre outras [3] - que empunham bandeiras completamente contrárias aos princípios da Igreja Católica. Abortismo, ideologia de gênero, legalização das drogas, luta de classes, etc.

ariovaldoÉ atribuída ao velho Karl Marx a frase que sintetiza o perigo das pessoas que se acham puras e, por isso, no direito de decidir nosso futuro: “O caminho para o inferno está pavimentado de boas intenções”.

Eu me lembro da frase toda vez que ouço ou leio alguma declaração, abaixo-assinado,  manifesto, grito de guerra, Et Cetera, do pastor Ariovaldo Ramos. Ele é um campeão na modalidade “apoiando as piores ideias com as melhores intenções”.

O seu último presente ao Brasil foi a adesão ao manifesto de lideranças “evangélicas” que está sendo distribuindo entre os congressistas, incitando-os a apoiarem o decreto da presidente Dilma que cria a Política Nacional de Participação Social (PNPS).

Graça Salgueiro relata o surgimento de um bando terrorista revolucionário, seu crescimento e aliança com as FARC, seus vários crimes e conexões políticas, dentre as quais Luiz Eduardo Greenhalgh, do PT.

O Brasil não pode continuar refém de bandos terroristas como FARC, EPP e PCC.
 

“O Banco Nacional de Fomento de Choré salvou-se de um bando de toupeiras”, lia-se no título de uma matéria acanhada que aparecia no jornal Última Hora, em 16 de dezembro de 1997, da cidade de Choré, dando conta de que a Polícia havia conseguido desarticular um bando de assaltantes que pretendia assaltar o banco. Eles haviam alugado uma casa em frente e, desde lá, começaram a cavar um sofisticado túnel que já estava com 60 metros de extensão e 1,75 de diâmetro, com exaustor de ar e refletores quando foram detidos.

Quando os psicopatas chegam ao poder, declaram guerra às pessoas comuns.

Em nada me espanta que o vice-presidente do PT tenha elaborado uma “lista negra” de jornalistas que falam mal do governo. É a lógica da psicopatia reinante.


Uma amiga pergunta o que faz de mim um ser humano. Respondo: a saudade da vida eterna. O homem é o único ser que ressuscita. E fazemos isso todos os dias, sem perceber. Do contrário, não sobreviveríamos aos episódios de tristeza, dor, medo, arrependimento, agitação, dúvida, indecisão, culpa, angústia, ansiedade, fúria, embriaguez, inveja, ciúme, corrupção e desespero. Para continuar vivendo depois disso tudo, é preciso ressuscitar. E nós ressuscitamos, porque sentimos falta da eternidade.

O regime cubano continua exercendo uma grande influência sobre o da Venezuela e os herdeiros do chavismo continuam convencidos, como seu desaparecido mentor, Hugo Chávez, de que devem copiar o modelo cubano em seus maiores fracassos.


A única coisa que pode explicar a devoção e subordinação do desaparecido líder golpista Hugo Chávez e seu herdeiro Nicolás Maduro ao regime cubano, é que ambos assumiram como principal objetivo aprender da nomenklatura cubana o uso dos mecanismos do Estado e do governo para conservar o poder, independente dos fracassos colhidos durante o mandato.

Chávez foi o artífice para que dependências do governo venezuelano contassem com assessores cubanos com autoridade para tomar decisões, ao extremo de que especialistas da ilha em inteligência, repressão policial e serviços armados, funcionam como interventores de instituições a cargo da defesa e segurança do país.

belabiszkuRecentemente a Justiça húngara condenou Béla Biszku (foto) – membro do Partido Comunista e hoje com 92 anos – a cinco anos e meio de prisão por crimes de guerra cometidos contra a população civil desarmada em 1956.

Trata-se do primeiro processo de um antigo líder civil comunista desde o fim da escravidão do país à ditadura soviética, noticiou “Libération” de Paris. 

Biszku supervisionava o conselho militar que mandou abrir fogo contra os civis durante manifestações de protesto em Budapest no dia 6 de dezembro (quatro mortos), e em Salgotarjan (norte do país), em 8 dezembro (46 mortos).

As vítimas não foram insurgentes armados, mas civis que protestavam pacificamente. 

Biszku foi premiado com o Ministério do Interior de 1957 a 1961 e com a vice-presidência do Conselho de Ministros até 1978, ano em que se retirou da política. 

Desde o fim dos anos 90 a Hungria condenou uma quinzena de chefes de polícia e oficiais do exército. Mas o processo de Béla Biszku – quem era apenas uma peça da máquina comunista que ficou quase intocada na Europa do Leste – foi arquivado.

A todos os que compreendem o valor da vida humana,


Conforme anunciado em mensagens anteriores, no dia 4 de junho o deputado Givaldo Carimbão, do PROS de Alagoas, e mais 12 líderes de outros partidos, protocolaram na Câmara o Requerimento de Urgência 10.413/2014 para que o PL 6033/13, de autoria do Deputado Eduardo Cunha do PMDB/RJ, que revoga a Lei do Cavalo de Tróia, seja imediatamente votado e aprovado no Plenário da Câmara.

A Lei do Cavalo de Tróia, também conhecida como Lei 12.845, sancionada pela presidente Dilma logo após a visita ao Brasil do Papa Francisco, permite que o governo introduza da prática do aborto provocado em toda a rede hospitalar pública e privada no Brasil. O aborto somente poderá ser pedido em casos de violência contra a mulher, mas a lei especifica que a nova definição de violência é "QUALQUER RELAÇÃO SEXUAL NÃO CONSENTIDA" e que, mesmo assim, a mulher não precisa provar a violência sofrida, bastando a sua palavra de que a relação sexual não foi consentida. Os detalhes a este respeito estão na mensagem abaixo.


Em qualquer outro lugar, a Copa é um bem aguardado evento. No Brasil, representa uma inversão na escala das prioridades nacionais, que transcorre em meio a obras paradas, atrasadas, incompletas por motivos técnicos e financeiros.

  

 

Se você reparar bem, a cada abalo que o governo da presidente Dilma registra em sua sacolejada escala Richter, segue-se algum plano mirabolante ou algum anúncio bilionário destinado a acalmar as ondas. Seja o abalo moral ou político, a reação oficial vem sempre de um ou de outro modo. Ora o governo anuncia providências estruturais que não funcionam (como essa de intervir no futebol e estancar a evasão de atletas para o exterior), ora reúne o ministério, os governadores, a imprensa, o empresariado, os movimentos sociais e informa que está destinando bilhões de reais para isto ou para aquilo.

Um informe de uma agência da ONU reconhece que a maior parte dos feridos em Gaza desatenderam as chamadas de advertência feitas pelas forças israelenses.

Como já ocorreu em outros conflitos anteriores em Gaza, o Exército de Israel avisa os civis de que se vai bombardear sua casa. Em que pese isso, na recente escalada na Faixa já faleceram várias dezenas de pessoas, muitos deles civis e, lamentavelmente, também algumas crianças. A prática dos avisos tenta minimizar o número de vítimas civis em um cenário que é extremamente complicado para isso, uma vez que a maior parte dos locais utilizados pelos terroristas para armazenar armas ou lançar foguetes ou mísseis a Israel, são edifícios de uso civil e residências.

Trata-se de um aspecto dos ataques de Israel que tem pouco eco na mídia, porém até a agência EFE - cuja cobertura dos acontecimentos não se destaca precisamente por um enfoque pró-Israel - relatava há alguns dias o caso de uma família que explicava que durante a noite receberam uma chamada de uma pessoa que falava árabe mal, e que se identificou como membro dos Serviços de Segurança israelenses. Nesta chamada, se lhes pediu que abandonasse o edifício porque ele ia ser atacado em cinco minutos. Alguns membros desta família são suspeitos de fazer parte do Hamas.

 O Hamas faz uso das muitas tentativas da IDF de fornecer alerta antecipado utilizando civis como escudos humanos com o objetivo de impedir ataques.


A guerra urbana é um desafio árduo, pois os terroristas frequentemente estão localizados em áreas densamente habitadas. Para limitar as baixas civis, as Forças de Defesa de Israel utilizam ataques cirúrgicos nas posições terroristas.

idf1


Durante os três primeiros dias da Operação 
Protective Edge, as Forças de Defesa de Israel (IDF) fizeram uso ostensivo de táticas para evitar baixas entre civis na Faixa de Gaza. Conforme a operação progride, a IDF está coletando mais evidências de que o Hamas utiliza-se de áreas densamente habitadas na Faixa de Gaza e da população civil para a sua própria proteção.

rbcO cristianismo prescreve a confissão, o perdão e a pena expiatória para os transgressores da lei de Deus. Já a lei abstrata estatal é inflexível, inexorável, e não cogita de perdão algum. Nosso mundo já está assim, o Leviatã e suas leis pairam acima da moral e da consideração individual.


Adorei o filme Robocop dirigido por José Padilha. De qualquer ângulo que se olhe é um bom filme, exceto por um grave erro no argumento, sobre o qual já falarei. O remake só não é uma obra prima porque escapou da discussão de fundo sobre a Justiça e seu aparato repressivo. Essa discussão levaria à própria discussão da natureza da lei, sua legitimidade, sua extensão, sua fonte.

Ambientado num tempo futurista, de ficção científica, o Robocop do Padilha faz uma viagem sobre os futuros instrumentos bélicos autômatos, tempo no qual soldados seriam substituídos por máquinas controladas remotamente. De fato, já temos algo assim com os drones. Mas o argumento do filme se funda na recusa do Senado de aprovar o uso policial dessas máquinas, porque as mesmas não sentiriam “emoções”. Aqui está a falha clamorosa.