Ramiro-Valdes-MenendezCom exceção de Valeriano Weyler, nenhum outro indivíduo na história de Cuba foi responsável direto por tantos atos de maldade e crimes como "Ramirito".

Eu havia prometido na edição passada que na próxima falaria da exitosa operação realizada pela Força Aérea Colombiana em conjunto com a Aviação do Exército, na qual deram baixa a um grande número de terroristas que faziam o anel de segurança de Alfonso Cano, Comandante Supremo das FARC, dentre eles "Yaritza" ou "A Mona", amante de Pablo Catatumbo, e hoje soube de mais uma comandante guerrilheira abatida nesta operação, Marley Yurley Quezada, cognome "La Pilosa", amante de "El Paisa". Entretanto, fatos novos aconteceram ontem na Venezuela, gravíssimos e que a imprensa brasileira não fala nem vai falar, por isso adio o tema das FARC para falar de novo da Venezuela.

Diante do caos generalizado e descontrolado, e das pressões - até mesmo dentro do governo - vindas de todos os lados para que renuncie (ver "Venezuelanos clamam pela renúncia de Chávez"), Chávez cedeu mais uma vez às ordens vindas desde Havana, (segundo ele, "pedido" diretamente feito por Fidel Castro), e apresentou ontem ante as câmeras de televisão a Ramiro Valdés, com estas palavras: "Está conosco à frente dessa comissão um dos heróis da revolução cubana, o comandante Ramiro Valdés" que, segundo Chávez, veio para ajudar a resolver o problema elétrico na Venezuela.

Ora, mas "quem" é Ramiro Valdés e quais as suas funções em Cuba? Antes de falar no maldito personagem, lembro que em Cuba os problemas de água e energia são constantes e quase tão velhos quanto a revolução, então, com que autoridade ou competência um país manda um seu emissário para resolver problemas em outro, quando o dele próprio sofre de uma calamidade sem solução?

Bem, para começar, "Ramirito", como é conhecido em Cuba, não entende NADA de energia; vejamos um pouco de sua Folha Corrida:

Militar e político, um dos participantes da revolução cubana, nasceu em Artemisa, cidade de Havana, em 28 de abril de 1932. Desde 1976 ostenta o grau de "militar honorífico" de Comandante da Revolução. Desde 1959 ocupou vários cargos de relevância especial na ditadura de Fidel Castro. Foi designado como chefe militar na região central e posteriormente segundo chefe da Fortaleza de La Cabaña, até a fundação dos órgãos da Segurança do Estado dos quais foi seu chefe.

Desde a criação do Ministério do Interior, em 1961, ocupou os seguintes cargos: 1961-1968, Ministro do Interior; 1968-1972, Vice-Ministro das Forças Armadas; 1972-1976, Vice-Primeiro Ministro para o setor da construção; 1976-1994, Vice-Presidente do Conselho de Ministros; 1976-1986, Vice-Presidente do Conselho de Estado; 1979-1985, novamente ministro do Interior.

A partir de 1985 sua responsabilidade política minguou, embora seguisse ocupando o cargo de Vice-Presidente até 1994. Em 1996, é designado presidente do grupo empresarial Copextel, encarregado do desenvolvimento de importações eletrônicas e informáticas e das Comunicações. Com a ascensão de Raúl Castro ao poder, foi novamente designado no ano de 2009, a Vice-Presidente do Conselho de Ministro e meses depois a Vice-Presidente do Conselho de Estado.

Como se pôde constatar, este criminoso nunca exerceu qualquer função relacionada com a energia mas sim à repressão, aos fuzilamentos em La Cabaña, e à subversão no hemisfério, onde, segundo meu amigo Pedro Corzo, "É importante destacar que o atual Vice-Presidente do Conselho de Ministros e Vice-Presidente do Conselho de Estado em Cuba, foi o braço executor da subversão castrista no hemisfério. As incursões dos sicários da revolução cubana na Venezuela, Bolívia, Colômbia e o resto dos países do continente contaram com a assessoria de Valdés", e aqui eu complemento que o Brasil também deve ter recebido esta assessoria, daí porque NÃO ACREDITO que esta notícia seja divulgada pelos jornais brasileiros porque a PTPol, que é comandada por José Dirceu, JAMAIS deixará vazar informação de tal monta!

Em outro trecho, destaca Pedro: "Ramiro Valdés assumiu a direção do Departamento de Investigações do Exército Rebelde (DIER), uma força policial que se especializou em reprimir brutalmente as organizações clandestinas e guerrilheiras que confrontaram o novo regime, desde o próprio ano de 1959. O "Departamento", como ficou conhecido, foi uma espécie de embrião do que seria o Departamento de Segurança do Estado, um organismo que levou à prisão mais de meio milhão de homens e mulheres, e executou cerca de seis mil pessoas. Com exceção de Valeriano Weyler, nenhum outro indivíduo na história de Cuba foi responsável direto por tantos atos de maldade e crimes como "Ramirito".

Estas informações fazem parte do livro "Cuba: Perfiles Del Poder", do meu querido amigo Pedro Corzo e que, ao que me consta, só eu tenho um exemplar no Brasil, apesar de que desde que foi lançado em 2008, com o qual fui presenteada, tendo traduzi-lo para divulgar no Brasil mas nenhuma editora até hoje se mostrou interessada porque senão, como ficariam as verbas publicitárias que recebem do governo se andassem na contra-mão da ideologia do Partido-Estado?

Neste livro Pedro apresenta o histórico dos cinco principais líderes da revolução que são, respectivamente, Fidel Castro Ruz, Raúl Castro Ruz, Ramiro Valdés Menéndez, Camilo Cienfuegos e Ernesto Guevara de la Serna. O capítulo dedicado a Valdés encontra-se entre as páginas 64 e 83, mas o site "Gentiuno" da Venezuela, publicou fragmentos desse livro sobre o nefasto personagem que pode ser lido aqui.

Está claro que o objetivo desta intromissão não é encontrar a solução para os problemas energéticos, pois como demonstrei na última edição, foi o desprezo absoluto pelo investimento em manutenção que deteriorou as tubulações geradoras de água e energia. Este repressor assassino de milhares de vidas inocentes foi enviado para orientar como reprimir com "mais eficiência" aqueles que se oponham à ditadura chavista, além de controlar com mão de ferro todos os meios de comunicação como, emissoras de rádio e televisão, jornais, revistas, sites de inernet, redes de relacionamento como Twitter, FaceBook além de, como já ocorre em Cuba, os correios eletrônicos.

Os cubanos exilados nos Estados Unidos desde ontem estão alertando os venezuelanos, de dentro e fora da Venezuela, para ficarem em estado de alerta máximo. As organizações de venezuelanos no exterior estão convocando para manifestações em frente às embaixadas e consulados latino-americanos nos Estados Unidos, com o objetivo de entregar um comunicado solicitando aos Governos da região que apliquem a Carta Interamericana Democrática da Venezuela. Entretanto, para minha vergonha mas nenhuma surpresa, os venezuelanos residentes em Miami realizaram um protesto em frente às sedes diplomáticas do Brasil e da Espanha, pela atitude submissa e cúmplice dos chanceleres desses países, em relação ao Governo venezuelano.

O site venezuelano "Analítica.com" escreveu a respeito desta indesejada "visita": "Já não somos Venezuela, senão Cubazuela; já se sabe que quem controla a saúde, as Forças Armadas, os cartórios de registro (de identificação) e as notarias, são funcionários cubanos. E neste artigo, a jornalista Angelica Morabeals diz que a "assessoria" de Valdés vai custar à Venezuela US$ 2,4 blihões adicionais a Cuba. Ainda neste artigo ela afirma que o ministro da Energia, Alí Rodríguez Araque trabalhará "muito estreitamente com Valdés". Ora, para quem não sabe, Araque foi treinado em guerrilha em Cuba e saiu de lá como "comandante", do mesmo modo que o "Comandante Daniel", aquele brasileiro-cubano que nós conhecemos bem, daí que dá para se ter uma idéia do que realmente este assassino foi fazer na Venezuela...

E para concluir a edição de hoje, apresento dois vídeos inéditos no Brasil: o primeiro mostrando como é a violência policial em Cuba, num programa apresentado pela jornalista cubana exilada em Miami, María Elvira, chamado "María Elvira Live", com a participação do ex-oficial da contra-inteligência cubana, Delfin Fernández, "agente Oto", e o ex-major da Inteligência cubana, Roberto Hernández Llano. E o outro vídeo mostra os estudantes venezuelanos lutando contra a ditadura do século XXI. Observem neste vídeo mais ampliada, a foto que postei na última edição mostrando o mais novo material de repressão dos policiais e que mais se assemelha a um instrumento de tortura medieval. Assistam e comparem os dois vídeos e observem que a forma de repressão de um país e outro já são quase idênticas.

Amigos, desde 2002 que eu alerto aqui neste blog para o perigo que corríamos com essas associações de Lula com Chávez e muita gente desdenhou de mim, além de me colarem rótulos estúpidos para que me preocupasse com os problemas do meu país. Pois bem, agora até os jornais falam do perigo chavista mas, como estamos perto do carnaval, é provável que pouca gente dê atenção a esses alertas que faço mas vou continuar fazendo até que me cortem a língua ou arranquem minhas mãos para que não possa digitar e denunciar tanto crime comunista entrando por nossa porta. Insisto para que prestem muita atenção nestas denúncias de hoje e que divulguem, porque os jornais NÃO vão falar disto e o chanceler Celso Amorim também já declarou que "não vai se imiscuir nos assuntos internos da Venezuela", certamente porque deseja isto para o Brasil também. Fiquem com Deus e até a próxima!

 

Vídeos:

http://www.youtube.com/watch?v=U9AOCN7-Tzs

http://www.youtube.com/watch?v=7xXNx7ccgD0


Traduções e comentários: G. Salgueiro



Share